A cantora IZA, destaque do line-up do Coolritiba, festival que acontece no dia 5 de maio na Pedreira Paulo Leminski, promete músicas novas e “muita agitação” em seu show. A cantora falou ao Guia Gazeta do Povo sobre o show e sobre a carreira, que começou em 2016 quando foi contratada pela Warner Music.

Apesar do pouco tempo de carreira, IZA já foi convidada a abrir o show do Colplay em São Paulo e participou de show do cantor CeeLo Green (que também estaria no Coolritiba, mas cancelou a turnê da América Latina por problemas de logística). Para ela, é muito importante ver pessoas que ela sempre admirou aprovando o seu trabalho. “ Isso realmente foi muito importante pra mim e me deu muito gás pra continuar correndo atrás de tudo o que eu quero fazer. Me provou que tudo é possível”, afirmou.

A cantora acaba de lançar o álbum “Dona de Mim” e canta o amor próprio e o empoderamento feminino. IZA conta que os temas são próprios da sua vida e que fazem parte da sua história enquanto mulher. “Acho que tudo aquilo que eu sou a gente tentou passar pras músicas e eu acho que é assim que a gente consegue tocar as pessoas - quando você é verdadeiro, quando você tira algo de dentro do seu coração”, explicou.

Mulheres negras

IZA também tem uma grande influência quando o assunto é a inclusão de mulheres negras na arte. Para a cantora, o pouco espaço ainda é triste, mas muitas artistas tem feito o trabalho de abrir portas para outras mulheres negras que estão por vir. “É quase que como se só pudesse haver uma de nós e eu acho isso muito triste. Ao mesmo tempo que Karol Conka, Ludmilla, Elza, Liniker, mulheres incríveis que estão aí abrindo portas pra outras e trazendo essa oportunidade para meninas que pensavam que isso não era possível”, comentou.

LEIA TAMBÉM 

>>> Empresário promove até 18 apresentações de jazz e blues por final de semana em Curitiba

>>> 4 baladas que marcaram época na noite curitibana e ainda fazem sucesso