Poucos artistas simbolizam melhor a energia e o exagero do hard rock dos anos 1980 que o vocalista Dee Snider, líder do Twisted Sister, que se apresenta nesta quinta (21) na òpera de Arame, às 21h.

Leia Também

>>> Terceira maior caverna de Curitiba está a 30 KM de Curitiba

No show em Curitiba, o cabeludo Snider promete mostrar os clássicos da carreira com a antiga banda e músicas do novo álbum solo For The Love of Metal, lançado em julho e bem recebido pela crítica e pelo público.

Os ingressos estão à venda e os valores variam de R$130 (meia-entrada) a R$510 (inteira), de acordo com o setor.

“O Twisted Sister é meu legado e eu certamente vou cantar as melhores da banda para os meus fãs, porém como um artista solo é meu direito cantar as minhas músicas e vou tocar várias do meu novo álbum que me deixaram”, disse Snider.  

“Ainda que eu saiba que na hora em que uma banda mostra suas novas músicas e diz que são do novo álbum, o pessoal sai para comprar cerveja. Aas velhas, o povo todo canta junto”, completou brincando.  

Com o TS, Dee Snider gravou "We're Not Gonna Take it”, um dos maiores clássicos do hard rock oitentista. Além de outros petardos como "I Wanna Rock", "The Price", "Come Out and Play", "The Kids Are Back" e "Stay Hungry", todas em discos que saíram na primeira metade dos anos 1980.

Aposentadoria e Greta

O cantor garante que a banda acabou e não há chance de um retorno. “Eu estou aposentado do Twisated Sister e nunca voltaremos”. Um movimento contrário ao que fizeram alguns contemporâneos seus. Snider disse que despreza este tipo de comportamento. “Eu não aprovo estas grandes bandas que anunciam o final, fazem a turnê de despedida e depois retornam. É desleal com o público”, avalia.  

“Sou fã do Ozzy Osbourne e do Judas Priest, mas não nos digam que estão indo embora e depois voltem com mais shows. Sigam tocando para sempre e terão meu apoio. Mas não minta. Isso me magoaria como fã. Snider também comentou a banda que é a “nova esperança do rock”, o Greeta Van Fleet, elogiada e criticada na mesma medida, por parecer muito com o Led Zeppelin.   

“Eu ouço [Greta van Fleet] e nunca sei ao certo se são eles ou o Zeppelin. Na verdade eu acho que é bom; novos músicos compartilhando e o gosto por canções de 30 anos atrás e fãs expostos a isso”, disse.

Ele disse, porém, que não curte bandas que copiam as outras. “Uma das minhas bandas novas que eu mais gosto é o Mosnter Truck, bastante influenciado pelos anos 70 que mistura um pouco do Deep Purple, com Lynyrd Synird and Grand Funk Railrtoad, mas que é um mix e não uma cópia”.