Shows

Tribalistas prometem homenagem a Paulo Leminski no show de Curitiba

Por: Luciana Penante, especial para Gazeta do Povo
Tribalistas prometem homenagem a Paulo Leminski no show de Curitiba

Eles estão transbordando amor. Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte finalmente conseguiram reunir as três agendas para fazer a turnê inédita do grupo Tribalistas, 16 anos após o lançamento do primeiro álbum. O trio faz única apresentação em Curitiba no dia 25 de agosto, sábado, na Pedreira Paulo Leminski – um sonho muito desejado e esperado, segundo Marisa. O trio conversou com o Guia Gazeta do Povo + Clube e prometeu uma homenagem a Paulo Leminski durante o show, que será no dia seguinte ao que seria o aniversário de 74 anos de vida do poeta.

No repertório, canções dos dois álbuns do grupo, que, como ressaltou Marisa, encontram grandes corais no momento das apresentações. “Escolhemos músicas que não são mais nossas, são do público. O trabalho começa muito íntimo, só nós três, vai crescendo até chegar no estúdio e agora no show, que é o momento de celebrar a vida através da arte e da música”. E essa celebração tem conseguido alcançar números que impressionam: 45 mil pessoas estiveram na última apresentação, em São Paulo, no dia 18.

Momento de Comunhão com o público
“O show é o contato direto com as pessoas, o momento em que a gente pode viver no tempo presente essas músicas, a vida real, não virtual. É a verdade, tudo pode acontecer, a gente tá ali, vivendo a vida com aquelas pessoas”, filosofa Marisa sobre o momento de comunhão com o público. “São muitas imagens que ficam ressoando no coração e na mente da gente durante vários dias depois”, completa. Ela acredita que o show é uma oportunidade para o grande público entender a parceria entre os três, que vêm de 25 anos e nunca parou. “Essa curva de tempo fica muito clara na apresentação, é muito esclarecedor para o público o que esse projeto é pra gente – e que vai além dos discos”, explica.

Arnaldo Antunes ainda se diz encantado com a recepção do público: “É uma celebração, uma emoção muito grande, as pessoas todas cantando juntas, batendo palmas, os movimentos. É tudo muito lindo e amoroso”, conta, se sentindo muito grato pela notícia recente de que amigos comentaram sobre a felicidade do público na saída do show – e confessou que passou o dia seguinte à apresentação de São Paulo também “flutuando”.

Diversidade na plateia
Partindo da própria família de Arnaldo Antunes, que tinha na plateia o pai de 86 anos e o sobrinho de cinco no último show, a diversidade de público dos Tribalistas é algo que os três artistas fazem questão de ressaltar. “É um som transgeracional em um ambiente livre e amoroso”, frisa Antunes. Casais de todos os tipos e crianças nos ombros dos pais têm dado o tom do coral que canta junto em todas as canções.

As diferenças, de certa forma, unem os Tribalistas: é uma reunião que extrapola São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia (cidades de origem dos três artistas), homem e mulher. “São pessoas muito diferentes que se somam, cada um colaborando com seu melhor”, ressalta Marisa.  

A música e as composições do trio
O jeito de consumir música mudou entre os 16 anos que separam os discos dos Tribalistas. O álbum mais recente da banda foi lançado pelos três em uma live na internet. Para Arnaldo, o importante é que a música em si continua com o mesmo poder de comunicar diretamente com as pessoas, independente das mudanças na indústria.

Nas composições do trio, tudo o que os toca enquanto artistas, como em Diáspora, que fala sobre a questão dos imigrantes. Para Carlinhos Brown, o que acontece é orgânico. “Estamos antenados com temas atuais, eles não passam despercebidos. Também há outros que já abordamos e continuam ali. O amor, por exemplo é perene”, ressalta.

Homenagem a Paulo Leminski
Arnaldo Antunes se disse muito feliz por tocar na Pedreira Paulo Leminski, ressaltando que o poeta foi um grande amigo e um poeta incrível. “É uma emoção desde o começo”, diz, prometendo uma homenagem a ele ao saber que na véspera do show seria seu aniversário de 74 anos.

Carlinhos Brown prometeu que o show, em si, será uma pedreira. “Há muita doçura, [o show] foi feito na base do amor, preparado por mais de um ano. A delícia e o prazer de fazer isso está transbordando a cada encontro”, finaliza.

De Curitiba, o trio segue para Brasília (1º de setembro) e Belo Horizonte (7 de setembro). Haverá ainda um show extra no Rio de Janeiro no dia 6 de outubro. No final de outubro o trio sai para 25 dias de turnê pela Europa.

Os ingressos para o show dos Tribalistas na Pedreira Paulo Leminski estão à venda pelo site Eventim. Os portões abrem às 17h e o show está marcado para às 21h. A classificação etária é de 16 anos, mas menores podem entrar acompanhados de responsável legal.