Cinema

“Star Wars: Os Últimos Jedi”: final de Luke Skywalker decepciona fãs da saga

Por: Bruna Covacci
“Star Wars: Os Últimos Jedi”: final de Luke Skywalker decepciona fãs da saga

Star Wars: Os Últimos Jedi estreou na última quinta-feira (14) no Brasil e causou uma divisão notória entre críticos e fãs da saga — os primeiros parecem ter gostado bastante do filme de Rian Johnson, mas o público não foi tão receptivo.

No Rotten Tomatoes, site que agrega análises feitas por profissionais dos principais veículos de comunicação do mundo, o mais recente longa da saga foi aprovado por 93% dos avaliadores com média de 8,2 de 10 até agora — mesmo resultado alcançado por “Uma Nova Esperança”, segundo filme com melhor avaliação entre todos os oito. Dos 93,678 espectadores que submeteram suas avaliações ao Rotten Tomatoes, apenas 56% aprovaram o filme, menor índice na história Star Wars. A média, em termos de nota, foi 3,3 de 5 para o público.

A pergunta que deve ser feita é: o que torna tão difícil criticar Star Wars? A paixão, é claro. Há dois anos, depois de “O Despertar da Força”, todos os fãs queriam que o Episódio VIII chegasse de uma vez, mesmo sendo difícil pensar que, após “Os Últimos Jedi”, só haveria mais um filme antes do desfecho atual da trilogia – e que esta seria a parte da história em que muitas perguntas seriam respondidas (até mesmo as que preferíamos que nem existissem). A seguir, alguns dos incômodos que, particularmente, prejudicaram a avaliação do filme.

****ALERTA DE SPOILERS*****

Luke Skywalker

Foi bom descobrir o paradeiro de Luke Skywalker em “O Despertar da Força”, mas compreender a situação precária e a negação que ele passou a viver em “Os Últimos Jedi” foi decepcionante.

Luke (logo ele!) foi omisso e não deu o suporte que Rey merecia – diferentemente do que se espera de uma relação mestre e padawan. É claro que esse relacionamento precisa dos seus momentos de reflexão, mas Luke simplesmente deixa a jovem Jedi por conta. Não a treina. Não está verdadeiramente ao seu lado como os fãs esperavam que fosse.

E o seu final? É uma homenagem ao episódio IV, claramente, quando o Obi Wan some e vira um espírito da força. Mas estamos falando de um Luke que muitos esperavam como mestre, que errou, mas que iria se redimir ajudando a nova esperança. Um personagem que realmente teria compreendido o que é a Força e que estaria lá, disposto a ajudar, mesmo quando não fosse necessário. Rey não merecia ser abandonada mais uma vez (já que o abandono dos seus pais é o maior conflito interno da personagem).

Enredo

Em termos de enredo, o Episódio VIII começa da pior maneira possível, deixando claro que a Primeira Ordem não se abalou com a vitória parcial da Resistência no final de “O Despertar da Força”. Começar um filme em meio a um frenético combate espacial é uma ousadia rara nos filmes da série (aconteceu no Episódio III, em 2005), mas esta é apenas a primeira de muitas ousadias de “Os Últimos Jedi”.

Do ponto de vista técnico, há muitos ineditismos no estilo visual, no ritmo narrativo e até na aplicação da trilha sonora. Muita coisa é estranhamente diferente, deixando a sensação de que sempre está faltando alguma coisa.  

O futuro

O filme não tem uma cena pós-créditos ou no meio dos créditos – apesar de ser da Disney, Star Wars não é Marvel! – mas possui uma cena final, separada da ação principal da história. Esta sequência contém conexões que podem dialogar com o futuro do Episódio IX, que será novamente dirigido por J.J. Abrams, responsável por “O Despertar da Força”.

Na cena em questão, as crianças encontradas por Finn e Rose em Canto Bight estão contando uma história sobre "Luke Skywalker, Mestre Jedi". Um homem grita e manda os jovens voltarem ao trabalho. Um dos meninos vai para fora do recinto, pega uma vassoura e começa a varrer. Quer dizer… Ele não pega simplesmente a vassoura, ele a convoca para si, usando o que parece ser a Força.

O garoto, então, segura a vassoura como um sabre de luz, enquanto olha para uma estrela (ou uma nave) que passe pelo céu noturno. Então, vemos que o menino usa um anel tem o emblema da Rebelião.