Restaurantes

Restaurante japonês no Centro Cívico encerra as atividades em abril

Por: Flávia Schiochet
Restaurante japonês no Centro Cívico encerra as atividades em abril

O restaurante Tuna, funcionando há quatro anos no edifício corporativo Neo no Centro Cívico, servirá sua última refeição no dia 27 de abril. Os irmãos sócios Marcel e Gabriel Konopka, à frente do restaurante desde sua abertura, decidiram encerrar as atividades por causa do cenário econômico atual do país – este é o terceiro estabelecimento de alimentação que anuncia seu fechamento em Curitiba no último mês.

>>> Bistrô vegano Straveganzza e confeitaria Kinkan fecharam em Curitiba

“Nós abrimos o restaurante em um cenário que não era o melhor. Esperávamos uma arrancada nesse início de ano, que não veio. Temos a percepção de que o período de crise vai durar mais do que o esperado, por isso a decisão de fechar o restaurante”, explicou Marcel, que antes de abrir o Tuna em Curitiba trabalhava como analista de fundos de investimento em São Paulo.

Aberto em abril de 2015, o restaurante manteve o serviço à la carte com cozinha contemporânea japonesa “fusion” na cozinha quente e sushi bar. O chef que assinou o cardápio de abertura do restaurante é um dos nomes mais respeitados do segmento: Koji Yokomizo, do By Koji, restaurante dentro do estádio Morumbi, em São Paulo.

Por demanda do público, em 2016, os sócios incluíram buffet por quilo no almoço de segunda a sexta (R$ 69,40 o quilo) e há um ano, rodízio à noite (R$ 89 por pessoa). Até o dia 27 de abril, o restaurante servirá buffet a quilo e à la carte no almoço de dias de semana e rodízio e à la carte aos sábados e no jantar de dia de semana.

Atum com foie gras e pimenta verde, sushi do cardápio à la carte do Tuna. Foto: Priscila Fiedler/Divulgação

No rodízio, pratos como niguiri de salmão selado com raspas de limão siciliano e sal negro; niguiri de agulhão selado com azeite de trufas, massago e cebolinha; o niguiri de salmão selado com fina fatia de alho e sal negro; e as bateras (sushis prensados com tartar de salmão ou atum, tabasco, cebolinha e crispy). No à la carte, entradas e pratos principais como temakis, tempuras, carpaccios, sushis, sashimis, yakissoba e outros pratos quentes.

Abrindo mercado

O Tuna faz parte de uma “geração” de restaurantes nipônicos fusion contemporâneos em Curitiba, dos quais fazem parte o Aizu, aberto no mesmo ano, e o Nou Nikkei Cuisine, aberto em 2017.

“O restaurante foi a primeira empresa que abri e foi superlegal. Pena que a economia estava meio machucadinha. Conseguimos trazer a qualidade de insumos e mão de obra que tínhamos em São Paulo. O melhor peixe de Santa Catarina vai para São Paulo, e muitas vezes o “importamos” de lá. A nossa equipe de sushimen é de São Paulo e estão desde a inauguração com a gente”, rememora Marcel. Quem segue no balcão do sushi bar até o fim das atividades do Tuna são os irmãos Rômulo e Rodolfo Souto.

Reconhecimento

No primeiro ano de funcionamento, o restaurante foi indicado na categoria Asiático do Prêmio Bom Gourmet 2015 pelo prato The Tuna: atum selado com mel de laranjeira e foie gras e confit de laranja lima. “Ficamos muito felizes de ter esse reconhecimento logo de cara. Com certeza ajudou muito”, diz Marcel.

The Tuna, prato indicado ao Prêmio Bom Gourmet 2015. Foto: Guilherme Alves/Divulgação

Dois anos depois, o restaurante recebeu indicação na categoria Drink com o coquetel Okinawa Swell, criado pelo bartender Augusto Carpa. O drink leva saquê, coentro, suco de limão e bitter e atualmente é servido no Ginger Bar, outro endereço onde o bartender atendeu.

Alguns eventos promovidos pelo restaurante também mostravam a sintonia com as tendências, como os festivais de lámen, de ceviche e de gim tônica.

Guioza do Tuna, feito com a técnica do chef consultor Koji Yokomizo, do By Koji, em São Paulo. O preparo foi replicado por André Pionteke durante a edição de 2018 do Masterchef Profissionais. Foto: Guilherme Alves/Divulgação

Entre 2016 e 2017, o cozinheiro André Pionteke passou pela equipe do restaurante. No ano seguinte, Pionteke participou do Masterchef Profissionais e mostrou à audiência muitas das técnicas que aprimorou trabalhando no Tuna e no By Koji, como o guioza “grudado”.

***

LEIA TAMBÉM

>>> Maior balada sertaneja de Curitiba, Shed fecha as portas

>>> 9 lugares para comer brunch em Curitiba