Eventos

Carnaval no interior do PR tem maior festa universitária, desfile de carros e mais!

Por: Anderson Gonçalves
Carnaval no interior do PR tem maior festa universitária, desfile de carros e mais!

Durante muito tempo alimentou-se a ideia de que paranaense não gosta de carnaval. É fato que não temos o samba no pé dos cariocas ou a energia dos baianos, mas estamos longe da imagem de aversão à folia que se criou no imaginário popular. E não são apenas a explosão dos blocos pré-carnavalescos em Curitiba ou a multidão que acompanha os trios elétricos no litoral que comprovam isso. Entre festas tradicionais e eventos que ganharam corpo recentemente, o interior do estado tem opções para os mais variados tipos de foliões.

Alguns festejos contam com décadas de tradição, como os de Antonina, no Litoral, e Tibagi, nos Campos Gerais, que procuram aliar novidades ao estilo dos carnavais “de antigamente”. Há aqueles que apostam em nichos de público, como em Astorga, no Norte, que se anuncia como “o maior carnaval universitário do Paraná”, o de Porto Rico, também no Norte, que reúne aficionados por som automotivo, ou o festival Psicodália, na cidade catarinense de Rio Negrinho, divisa com o Paraná, que substitui o samba pelo rock alternativo e a MPB.

A seguir você confere um roteiro com as principais festas de carnaval do interior paranaense, para quem não quer ficar na capital, prefere evitar as praias, mas sem abrir mão da diversão.

Os pioneiros do carnaval paranaense – Antonina

O carnaval de Antonina, cidade histórica no Litoral, é tido não apenas como o mais antigo do Paraná, mas um dos primeiros do Brasil. Segundo historiadores, começou no final do século 19 com brincadeiras de rua, mas o primeiro bloco oficial data de 1924, o Boi do Norte. Na década de 40 teve início outra tradição que se mantém até hoje, as Escandalosas, desfile em que os homens se vestem de mulher. As festividades, todas gratuitas, começam na sexta-feira (1° de março) e se estendem até a terça (4), com blocos carnavalescos, desfile das escolas de samba e bailes diários na principal rua da cidade, que se transforma na Avenida do Samba. No ano passado, os quatro dias de evento reuniram cerca de 80 mil pessoas, segundo a Prefeitura de Antonina.

Avenida do Samba de Antonina, que recebe milhares de foliões todos os anos.

Do fandango ao banho de mar – Paranaguá

O carnaval parnanguara remonta ao século 18, quando era celebrado o Entrudo (festa que precedeu o carnaval) e as pessoas dançavam o fandango. Com o passar dos anos os festejos foram mudando, mas algumas tradições permanecem. Uma delas é o Banho de Mar à Fantasia, evento de pré-carnaval que em sua 70ª edição toma as ruas do centro histórico da cidade no próximo dia 24. Dois dias depois (dia 26) começa o carnaval propriamente dito, com o Desfile do Cortejo Real. Seguem-se o desfile das escolas de samba, apresentações de marchinhas carnavalescas e outra tradição de décadas, o bloco dos sujos, em que os participantes se fantasiam e esbanjam irreverência.

Em Paranaguá, os foliões tomam conta do Centro Histórico.

Mais enxuto, mas sem perder a tradição – Tibagi

Outro carnaval bastante tradicional, esse mais distante do litoral, é o de Tibagi, nos Campos Gerais. As primeiras manifestações oficiais foram registradas em 1910, com um desfile de veículos decorados, o chamado Corso, que se mantém até os dias atuais. Nesse ano a festa sofreu algumas mudanças, com o intuito de reduzir despesas. Os concursos de marchinha e rainha da festa, que eram feitos em eventos específicos, serão realizados pela internet, enquanto o desfile de rua foi cancelado. Mesmo assim, o município espera, mais uma vez, receber um grande número de foliões de outras cidades, que poderão acompanhar shows, bailes de matinês e o tradicionalíssimo Desfile do Corso. A programação oficial ainda não foi divulgada, mas já está definido que as atividades acontecerão de 1° a 5 de março.

Tibagi enxugou o evento este ano, mas promete manter a mesma animação.

Veículos ditam folia à beira do rio – Porto Rico

Na divisa com o estado de São Paulo, o pequeno município de Porto Rico é um dos destinos de veraneio mais movimentados da região. Às margens do rio Paraná, recebe milhares de pessoas que vão se banhar nas praias de água doce ou fazer passeios fluviais. Aproveitando essa vocação para o turismo, o município investiu também no carnaval, promovendo desde 2017 o Carnaval Automotivo. A iniciativa consiste em reservar uma faixa de 300 metros na orla do rio, onde um DJ comanda uma estação de rádio. Os proprietários de veículos previamente cadastrados estacionam seus carros, sintonizam a rádio e, a partir do próprio equipamento de som, comandam a festa. Serão quatro dias de evento (de 1° a 4 de março), que também irá premiar os blocos mais animados. As primeiras edições reuniram um público próximo de 20 mil pessoas.

Vista da festa que acontece à beira do rio Paraná em Porto Rico.

Samba, rock e canja de galinha – Foz do Iguaçu

Principal destino turístico do Paraná, Foz do Iguaçu também passou a incrementar as atividades carnavalescas de uns tempos para cá, aproveitando o grande volume de visitantes brasileiros e estrangeiros que visitam a cidade no feriado. As festividades ganharam até um nome próprio, o Carnafalls, que tem várias atividades espalhadas por diferentes pontos da cidade entre os dias 1º e 5 de março. As atrações vão desde o Carnaval da Saudade, que mantém a tradição dos concursos de fantasia e blocos, até o CarnaRock, que reúne bandas alternativas para quem não curte samba. Tem ainda o concurso “Menina Veneno” – em que homens se vestem de mulher –, bailes nos bairros e a Canja do Galo Inácio, iniciativa que há 19 anos distribui a famosa sopa para recarregar as energias dos foliões.

Desfile de escolas de samba é uma das atrações do Carnafalls, em Foz.

O maior carnaval universitário do PR – Astorga

Situada entre os municípios de Londrina e Maringá, no Norte paranaense, a cidade de Astorga até realizava seu carnaval tradicional, mas quem roubava a cena era o Bloco do Aço, que reunia universitários de toda a região. Em 2016 a prefeitura deixou de organizar a festa, mas o bloco manteve suas atividades. Hoje, o Bloco do Aço se autointitula “o maior carnaval universitário do Paraná”, mobilizando jovens de várias cidades, que vão à cidade aproveitar uma festa open bar (com bebida à vontade) com shows e DJs. Em 2019 o evento comemora dez anos, começando na sexta (1°) e terminando na madrugada de quarta (5), no Centro de Eventos da cidade. Os ingressos custam R$ 60 por dia, ou R$ 220 o passaporte para os quatro dias, além do vale abadá, que sai por R$ 30, à venda no site ingressonacional.com.br.

Seis dias de música no campo – Rio Negrinho (SC)

Apesar de estar em território catarinense, o município de Rio Negrinho, próximo à divisa com o Paraná, é invadido por uma horda de paranaenses durante o carnaval. A proximidade com o estado faz com que muita gente fuja da folia tradicional no Festival Psicodália, evento independente realizado desde 2006 e que vem crescendo a cada edição. São seis dias em uma fazenda com 500 mil quadrados de área verde, que recebe shows de rock, MPB, jazz, blues e gêneros alternativos, além de oficinas e outras atividades que incentivam a sustentabilidade. Ao todo, 33 artistas compõem o lineup da edição de 2019, tendo à frente nomes como Hermeto Pascoal, Jorge Mautner, Cordel do Fogo Encantado e Elza Soares. Os ingressos, que incluem hospedagem no camping, custam R$ 960 (R$ 480 a meia-entrada), e podem ser adquiridos pelo Disk Ingressos.

Festival Psicodália vai reunir mais de 30 atrações musicais em seis dias.

LEIA TAMBÉM

>> Carnaval de Curitiba em 2019 terá um mês de folia

>> O que as escolas de samba de Curitiba estão preparando para o Carnaval?