Cinema

Prefeitura pretende abrir Cine Passeio em outubro

Por: Sandro Moser
Prefeitura pretende abrir Cine Passeio em outubro

A vistoria que o prefeito Rafael Greca fez nas obras do Cine Passeio, no final do mês de julho, deixou no ar a pergunta sobre a data de reabertura das novas salas públicas de cinema de Curitiba.

>>> Lembra do urso do Passeio Público? 12 curiosidades sobre o local 

Greca foi conhecer o projeto de “identidade visual” do espaço cultural que, segundo divulgado pela Prefeitura, faz homenagens aos Cines Ritz e Luz, os últimos cinemas de rua da cidade. A obra do complexo de cinema público Cine Passeio na esquina das ruas Riachuelo e Carlos Cavalcanti, está em andamento desde 2009. 

>>> Bar Getúlio: um bar cheio de história de onde se vê Curitiba passar

Segundo informações da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), a equipe trabalha com a “intenção” de entregar as salas funcionando no mês de outubro. Depois de remarcar duas vezes a previsão de reabertura, a entidade municipal agora prefere não arriscar um prazo, mas esclarece que os equipamentos estão em fase final de instalação e que o mês de setembro será usado para testes.   

O novo Cine Passeio terá duas salas de projeção – cada uma com 90 poltronas, os cines Ritz e Luz – lembrando o nome dos cinemas de rua fechados, respectivamente, em 2005 e 2009.

No terceiro andar, há um espaço para eventos e um espaço para exibições de cinema ao ar livre, com capacidade para 60 pessoas e vista para o Passeio Público.

O andar subsolo foi batizado de espaço Valêncio Xavier (em homenagem ao escritor, cineasta e criador da Cinemateca de Curitiba) que vai abrigar estúdios, salas de palestras, cursos de formação em cinema e eventos.

O projeto é dos arquitetos Mauro Magnabosco e Dóris Teixeira, do Instituto de Pesquisa Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e prevê áreas de convivência, coworking para produtores de cinema, um café temático e espaço para exposições.

As obras de reforma dos 2,6 mil metros quadrados do prédio histórico – construído na década de 1930 – custaram R$ 9,8 milhões. Deste montante R$ 6,3 mi já foram empenhados pelo munícipio para a conclusão das obras de reforma do prédio e mais R$ 2,5mi serão usados na licitação para compra de equipamentos.

Todos os recursos para a conclusão do Cine Passeio foram obtidos pela venda de títulos de potencial construtivo: papéis emitidos pelo município que permitem que os compradores ampliem as dimensões de obras com limitações impostas pela lei municipal de zoneamento e uso do solo urbano.

As novas salas de cinema de rua, O Cine Luz e o Cine Ritz terão curadoria de programção voltada ao cinema “não-comercial” e à produção brasileira e paranaense.Toda programação das salas de cinema do Cine Passeio será feita pelo crítico e jornalista Marden Machado e pelo cineasta Marcos Jorge, diretor do filme Estômago.