Petshop e Saúde Animal

Exposição com mais de cem gatos tem raças exóticas; veja fotos

Por: Flávia Schiochet
Exposição com mais de cem gatos tem raças exóticas; veja fotos

Prepare-se: abaixo desse texto estão fotos de gatos altamente charmosos. Os bichanos são as estrelas da 21ª Mostra Internacional de Gatos, que segue até domingo (23) às 18h30 na Sociedade Morgenau. Os organizadores pedem para que os visitantes contribuam com uma lata de leite em pó para a entrada. A expectativa para a edição de 2019 é de que passem duas mil pessoas pelo evento.

Em 14 anos de evento (entre 2005 e 2014 eram realizadas duas edições por ano), essa foi a edição com o maior número de gatos inscritos: 113 felinos e 15 raças diferentes e sem raça definida. O evento reúne um concurso, uma feira de produtos para gatos e ações beneficentes. Não é uma feira de comercialização de animais.

O tutor prepara seu gato para a avaliação do juiz. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Todos os bichanos participam em três baterias de avaliação por quatro jurados em dois dias de evento, em que os especialistas dão pontos pelas características físicas e comportamentais. No total, são 15 categorias e cada vencedor leva um troféu e uma premiação em ração. O evento é organizado pelo Clube do Gato do Paraná e patrocinado pela Premier Pet.

Quatro juízes avaliam três vezes cada um dos 113 gatos inscritos durante os dois dias de evento. Público pode acompanhar durante toda a tarde. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

O público pode acompanhar a avaliação dos jurados e também visitar cada um dos gatos em sua “toquinha”. Os animais, acostumados com o público desde pequenos, são dóceis e não se escondem dos visitantes. Alguns criadores tiram os animais para manusear.

Ação beneficente
A quantidade de leite em pó coletada pelo evento será doada para as instituições Programa do Voluntariado Paranaense – PROVOPAR e CIAF – Central Integrada de Apoio Família. O mesmo peso será doado em ração para a ONG Beco da Esperança, que cuida de gatos abandonados.

Voluntários coletam latas de leite em pó na entrada do evento. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

“Já tivemos a oportunidade de arrecadar mais de 10 toneladas”, relembra Vera Gabardo, presidente do Clube do Gato do Paraná. A ONG Beco da Esperança está na entrada do evento com camisetas, meias, canecas, brinquedos e outros itens à venda.

Conheça algumas raças da 21ª Mostra Internacional de Gatos

American Shorthair

Recém-acordadas, as gatas da raça American Shorthair aguardam sua vez na avaliação pelos jurados. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

A raça de pelagem curta é sociável e aprende facilmente alguns truques, como os cães. Por seu comportamento dócil e obediente, o gato da raça American Shorthair é muito usado por marcas de produtos para pet para fotos e campanhas.

Bengal

Zeus tem dois anos e apresenta a pelagem brown spot, típica da raça. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Cruzamento de gato doméstico com o gato-leopardo asiático, essa raça apresenta pelagem similar à de um felino selvagem. É um animal muito ativo por sua origem e gosta de escalar, correr e atividades ao ar livre.

Don Sphynx

Filhotes de Don Sphynx dormem enquanto a Mostra Internacional de Gatos acontece à sua volta. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Essa raça é originária da Rússia e não apresenta pelos nem bigodes. Porém, quando nascem, podem ter quatro tipos de pelagem: sem pelos, camurça, velour-coat (com pouca pelagem que tende a desaparecer no primeiro ano de vida) e brush, com textura de “escova”. A principal diferença entre o Don Sphynx e o Sphyx é a posição de sua orelha e o formato dos olhos: amendoado para o primeiro e redondo para o segundo.

Exótico

Raça Exótico inspirou o personagem Garfield. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Quando Jim Davis criou Garfield, foi na raça Exótico que ele se inspirou – o formato do focinho e a região do bigode provam isso. A raça foi reconhecida oficialmente no final dos anos 1960 e é resultado do cruzamento entre o British Shorthair, o American Shorthair e o Persa.

Maine Coon

O maine coon Joaquim, de dois anos e meio e 11 quilos, no colo de sua tutora. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Conhecido como o “gigante gentil”, esse gato pode chegar a 12 quilos e 40 centímetros de altura. São dóceis e sociáveis e têm comportamento similar ao de cães, aprendendo a brincar de buscar a bolinha.

Scottish Fold

Scottish Fold. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

O gato acima não está tristonho, suas orelhas são assim mesmo. A causa é genética: na ninhada, podem nascer alguns Scottish Fold e alguns Scottish Straight (com as orelhinhas em pé). O que acontece é a não formação da cartilagem que mantém as orelhas apontadas para cima. O cruzamento de dois Scottish Fold é evitado por poder causar problemas na formação cartilaginosa em outras partes do corpo.

Sphynx

Polaca, gata da raça Sphynx, foi levada à mostra junto com a irmã, Tapioca. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Foi uma mutação natural que fez nascer um gato sem pelos em uma ninhada no Canadá, em 1966. O fenômeno voltou a acontecer e hoje o Sphynx é uma raça com características próprias, como a falta de pelos, a temperatura corporal dois graus acima da de outras raças e a necessidade de uma alimentação rica em gordura. Banhos devem ser dados com regularidade, duas vezes por mês.

LEIA TAMBÉM

>>> Cine Passeio: 6 motivos para você conhecer o mais novo cinema de Curitiba

>>> Primeira vila gastronômica da Lapa terá 20 operações gastronômicas

>>> "Queríamos o olho do Maurício de Sousa sempre brilhando", diz diretor do filme da Turma da Mônica