Outros Serviços

Lugares que unem diversão, cultura, drinks e arte em Curitiba

Por: Da redação
Lugares que unem diversão, cultura, drinks e arte em Curitiba

Degusto Café


Foto: Divulgação.

O café localizado no Batel oferece o espaço das paredes para artistas curitibanos que não conseguem expor suas obras em galerias. São exposições de diversas vertentes, como fotografia, pinturas e colagens. Cada artista pode usar o espaço por 3 meses, do jeito que achar melhor para agrupar as imagens. Caso algum cliente queira comprar algum quadro ou imagem, o Degusto fica com 30% do valor da obra e o restante vai para o artista. A forma colaborativa de oferecer um ambiente para artistas locais tem se mostrado uma nova forma de colaborar com a arte curitibana.

Jokers


Foto: Divulgação.

O Jokers, desde a inauguração em 2001, investe em diversão e arte. Um dos exemplos disso é a decisão de convidar músicos autorais para tocarem no bar, ao invés de bandas de cover. O local coloca bimestralmente nas paredes exposições de pinturas, serigrafias, xilogravuras, gravuras, fotografias e diversos outros formatos. O Jokers também oferece espaço para grupos de teatro — tanto no Festival de Curitiba quanto em outras ocasiões.

351


Foto: Divulgação.

O 351 busca a criatividade e a socialização através da arte, entretenimento e diversão. É possível identificar o viés artístico em diversos aspectos do ambiente e da atuação. Conhecido como “a casa cultural”, o local busca respeitar a individualidade e aceitar a pluralidade social. De dia, recebe produtores culturais, músicos, DJ's, artistas de rua, entre outros, como uma plataforma criativa e um celeiro artístico. O espaço está em constante transformação — seja nas artes das paredes, nas festas que buscam diversidade, nas oficinas de dança, nos eventos sobre economia criativa, além de bate-papo produtores, músicos, grafiteiros e agentes culturais.

Ginger


Foto: Divulgação.

O bar fica nos fundos da galeria Ponto de Fuga, espaço abriga produções de arte contemporânea, com atenção especial para a linguagem fotográfica, publicações e impressos. O bar e a galeria são espaços parceiros que compartilham o mesmo local, então fica a dica para conhecer ambos. A galeria organiza eventos culturais, tais como exposições, feiras, oficinas, rodas de conversas, com o objetivo de reunir a comunidade artística local e convidar o público para o diálogo. O Ginger funciona como um "bar secreto", pois é preciso saber exatamente onde ele está: da rua, olhando de fora, não é possível visualizá-lo. Além disso, para entrar, é necessário ter uma senha. A criação dos códigos está sempre relacionada a personalidades do mundo da arte e do entretenimento. Se você quiser saber a senha, entre em contato com a equipe nas redes sociais.

Dizzy


Foto: Gaby Godoy/Divulgação.

O Dizzy tem exposição mensal de fotografias e quadros, além de apresentações ao vivo todas as noites com foco no jazz, blues e black music. O local promove mensalmente feiras no jardim com itens reciclados, estimulando o consumo consciente e reutilização para um mundo mais sustentável. Segundo o idealizador, cerca de 50% dos quadros expostos são vendidos durante o período das exposições. 

Quiat 


Foto: Divulgação.

O Quiat Gastronomia Arte Cultura nasceu da paixão pelas obras de arte de Jean Michel Basquiat — grande artista negro Nova Iorquino que deixou de fazer grafite nas paredes da baixa Manhattan para vender pinturas em galerias do Soho, tornando-se rapidamente um dos artistas mais talentosos de sua geração. Justamente por esse motivo o bar tem dois ambientes: um inspirado no Basquiat mais underground e outro em sua versão mais conhecida. O nome, Quiat, significa"O Que há". A proposta do local é manter um ambiente onde a arte está nas paredes, na boa música e na forma charmosa com que servem os pratos.

Café Bathé


Foto: Divulgação.

Instalado em um antigo casarão dos anos 1960 que foi reformado, o Café Bathé é um misto de café, bistrô e galeria de artes. Atualmente, é um espaço que recebe exposições, eventos culturais e corporativos e também os que são voltados à gastronomia. As obras de arte expostas no Bathé ficam espalhados por todo o espaço de dois andares do sobrado.

Solar do Barão


Foto: Antonio More/Gazeta do Povo.

Solar do Barão é um espaço para quem quer apreciar literatura e arte em pleno Centro Histórico de Curitiba. No meio do Largo da Ordem, o casarão abriga um complexo cultural que recebe exposições, cursos, oficinas e apresentações culturais diversas, sempre com programação voltada à comunidade em geral.

Quintana Gastronomia


Foto: Divulgação.

No Batel, o Quintana tem uma biblioteca espalhada por toda a casa que o abriga. São mais de 1,5 mil títulos de diversos gêneros, indo da ficção até a filosofia. Com frequência, o Quintana também recebe vernissages com lançamento de exposições, além de abrigar mostras de diversos gêneros. 

Bar do Fogo


Foto: Patricia Jeronimo/Divulgação.

O Bar do Fogo funciona desde abril de 2015 e, desde então, já recebeu mais de 30 exposições e inúmeros artistas locais. Recentemente, o local fixou uma programação semanal fixa: todas as quartas, recebe um quinteto de jazz, o Jazz Bop; nas quintas, tem roda de samba e choro; e nas sextas é dia de música instrumental brasileira. As exposições abrem sempre às terças-feiras e ficam uma média de 15 dias no bar, sempre fomentando a cena artística local. A próxima exposição é da artista Lena Muniz, com gravuras e cerâmicas produzidas por ela.