Cinema

Culinária e arte japonesa são atrações no festival Imin Matsuri

Por: Sandro Moser
Culinária e arte japonesa são atrações no festival Imin Matsuri

No Japão, desde o dia 1º de maio, iniciou-se uma nova era com a ascensão do novo imperador, Naruhito, como chefe da nação. O costume japonês é definir cada era imperial com um nome simbólico e poético. A vigente foi batizada de Reiwa, união de dois ideogramas que podem ser traduzidos como “ordem e harmonia”.

Leia Também 

>>> Bar de Curitiba lança porção de pururuca frita na hora 

As duas palavras também podem definir a sensação de aproveitar o festival Imin Matsuri (Festival do Imigrante Japonês) que acontece neste fim de semana, 29 e 30 de junho, no Expo Barigui, no Parque Barigui. O festival de cultura, arte, música e culinária japonesa é um exemplo de como é possível fazer uma festa bonita e animada, mas também muito organizada. O Imin Matsuri é um mergulho na cultura japonesa durante estes dois dias.

O evento celebra os 111 anos da imigração japonesa no Brasil ao misturar a tradição milenar do Japão como as danças e números musicais com o que tem de mais atual na cultura pop.

O festival começa as sempre às 10h. No sábado (29) encerra às 20h e no domingo às 18h. A entrada custa R$ 7 ou R$ 10 para os dois dias. Crianças de até 12 anos e pessoas acima de 60 anos são isentas.

Culinária e música

O destaque é a culinária com mais de 15 barracas que vendem as mais variadas preparações da cozinha japonesa.

No centro gastronômico serão vendidos pratos como o Mazegohan ( risoto japonês com frango empanado) a R$ 22, os tradicionais sukiaky e yakisoba ( R$ 22,cada), mas também grande variedade de sashimi, sushi, tepanyaki, yakissoba, guioza, tempurá, okashi, udon, espetinhos variados e outras especialidades orientais.

Uma das barracas mais concorridas era a do Takoyaki, o bolinho de povo frito preparado de varias formas, inclusive com bacon .“É uma espécie de sincretismo cultural”,  brincou o economista Rafael Ueda Martins, enquanto encarava a porção que sai por R$ 18.

Na tarde deste sábado, o destaque entre as apresentação culturais foi a apresentação do artista Reison Kuroda. Nascido em Tokuyo, o músico é uma espécie de embaixador do instrumento do qual é um dos mestres mundiais, a shakuhachi (flauta tradicional japonesa). 

“Este instrumento veio da China há 1,3 mil anos, mas ele se aperfeiçoou e se tornou tradicional no Japão”, explica Kuroda.  

“É uma flauta de cinco furos e pode apresentar muitas formas diferentes: sons da voz humana, de passarinhos, da natureza, dos ventos. É preciso buscar o ar perto do coração. Eu sinto meu próprio espírito passando pelo instrumento quando eu toco”, disse o músico.

Cosplay e karaokê

Ainda neste sábado (29), às 18 horas, jovens que representam personagens de animé (desenhos), mangá (quadrinhos) e videogames participarão do concurso de cosplay.

Durante os dois dias serão realizadas apresentações de taikô (show de tambor), odori (dança), karaokê (música) e artes marciais. O público pode participar de oficinas gratuitas de origami (dobradura de papel), furoshiki (arte de embrulhar com tecido) e mangá (quadrinhos japoneses) e também receber sessões gratuitas de massagem.