Passeios

Conheça as igrejas de Curitiba e região com mais de 100 anos

Por: Anna Sens, especial para a Gazeta do Povo
Conheça as igrejas de Curitiba e região com mais de 100 anos

História nas paredes, no chão e nos vitrais: as igrejas não só fazem parte da paisagem das cidades como contam sobre o desenvolvimento das cidades e bairros onde estão. Em Curitiba, a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas foi construída em 1737 e é hoje o edifício mais antigo da cidade que ainda está em pé.

O Guia Gazeta do Povo descobriu, com a ajuda da Arquidiocese de Curitiba, quais são as igrejas de Curitiba e região metropolitana ligadas ao catolicismo que têm mais de cem anos – e continuam funcionando!

Igreja da Ordem

O edifício da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Chagas foi construído em 1737, pelo Tenente Cel. Manoel Rodrigues da Mossa. Desde então, compõe a paisagem do centro de Curitiba e é justamente o edifício mais antigo da cidade ainda existente. Além do espaço de celebração e missas, a capela ainda tem uma área para eventos, auditório e biblioteca.   

Catedral de Curitiba

O primeiro prédio da Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, ou Catedral de Curitiba, feita de barro e pedra, data de 1720, mas a construção foi demolida. A igreja como conhecemos hoje foi inaugurada em 1893. Na visita, vale prestar atenção às pinturas, dos artistas italianos Carlos Garbaccio e Anacleto Garbaccio.

Igreja do Rosário

Não há data de registro do ano de construção da Igreja do Rosário, mas segundo a Arquidiocese de Curitiba, há registros do uso da mesma a partir de 1762. É impossível pensar no Largo da Ordem sem mencionar a igrejinha, que foi reconstruída completamente em estilo barroco em 1946.

Paróquia Nossa Senhora da Piedade

Conhecido como o primeiro habitante de Campo Largo, o português Luiz Tigre foi também o primeiro dono do terreno que abriga a Paróquia Nossa Senhora da Piedade. A primeira igreja foi inaugurada em 1826, em estilo colonial, mas a nova matriz é mais recente e foi finalizada (desde revestimento exterior até decoração) na primeira metade do século XX.  

Paróquia Nossa Senhora do Rosário

A primeira capela de Colombo foi construída por colonos italianos em 1885. Só em 1908 ganhou uma sede maior, onde está até hoje, graças à intervenção do Bispo de Curitiba, Dom José Camargo de Barros. Há uma imagem de Cristo crucificado na matriz vinda originalmente da Itália.

São Pedro de Umbará

A inauguração oficial da sede de alvenaria da Igreja São Pedro de Umbará foi em 1895. Era principalmente frequentada por imigrantes italianos que viviam na região. Aos cuidados dos Capuchinhos, foi inaugurada a nova matriz, no fim da década de 1930.

Paróquia Sant’Ana de Abranches  

Os responsáveis pela construção da paróquia foram os imigrantes poloneses que viviam na região do Abranches. E não só da igreja, como também de um cemitério e casa paroquial. A matriz da capela dedicada à Santa Ana foi concluída aproximadamente em 1893, na época comandada pelo padre polonês Ladislau Grabowski.  

Paróquia São José e Santa Felicidade  

A comunidade italiana de Santa Felicidade construiu a primeira capela da região em madeira. Mais tarde, em 1901, a igreja passou por reformas e se consolidou como uma organização religiosa. Em 1928, uma nova fachada foi inaugurada.

Paróquia São Sebastião da Rondinha

Os habitantes de Campo Largo ficaram migrando de igreja em igreja até a construção da matriz de Rondinha, inaugurada em 1906 e frequentada principalmente por colonos italianos. Hoje, diversas capelas pertencem à matriz.  

Paróquia Senhor Bom Jesus

Parte do cartão postal de Curitiba, a paróquia localizada na Praça Rui Barbosa foi construída em 1909, sob comando do arquiteto Frei Feliciano Schlag. Antes disso, teve outras sedes menores na região.