Restaurantes

Por tempo limitado: hamburgueria serve sanduíche com clássico purê de batata e queijo

Por: Flávia Schiochet
Por tempo limitado: hamburgueria serve sanduíche com clássico purê de batata e queijo

Cada componente do hambúrguer da foto acima, exceto o queijo, foi feito na mesma cozinha em que se chapeiam os discos de carne do Sina Fast Casual. A hamburgueria do Água Verde serviu os primeiros sanduíches no dia 1.º de junho de 2018, com dez sanduíches no cardápio e o serviço de balcão.

O cliente faz o pedido no caixa e aguarda seu nome ser chamado. Retira o pedido no balcão e pode comer em um dos 35 lugares do salão do Sina. A “economia” de serviço de salão compensa pela proposta da cozinha. Tudo que compõe o sanduíche é feito na casa, desde o pão d’água, a maionese de leite, o barbecue, os picles de pepino e jalapeño, a tortilha do hambúrguer mexicano e, claro, o blend de carnes do hambúrguer de 180 gramas, que leva peito bovino e acém.

O hambúrguer é feito na chapa e o cliente escolhe se quer o hambúrguer ao ponto (recomendado pela casa) ou se quer mal ou bem passado. Para os vegetarianos, há a opção de trocar o hambúrguer de carne por um de grão-de-bico e feijão preto. O pão feito na casa fica entre o francês crocante e o tradicional pão de hambúrguer macio. “A crosta não faz casquinha que esfarela, mas o pão tem uma resistência”, explica Romero.

>>> Padeiro roda Curitiba vendendo pães em food truck

O Sina abre de terça a sábado para almoço e todos os dias à noite e todos os dias há um hambúrguer do cardápio em promoção (cerca de R$ 3 de desconto). Os hambúrgueres vão de R$ 10 (o Sininha, que leva um hambúrguer de 100 g) a R$ 20 (os especiais do mês). O mais vendido é o de bacon, com cheddar, bacon em fatias chapeada e cebola caramelizada (R$ 18). O clássico leva cheddar, alface americana, tomate e cebola roxa (R$ 15). Há a opção de acrescentar batata frita ou chips de batata-doce por R$ 5 adicionais.

Para beber, há sucos, água, refrigerante, cervejas long neck (Budweiser, Stella Artois, Brahma) e de 750 ml (Patagônia) e chopes da paranaense Insana. O pilsen custa R$ 8 (440 ml) e o IPA, R$ 12. Há promoção de três chopes pilsen por R$ 20 e três IPA por R$ 30.

Os sócios Gustavo Romero e Jacob Stivelman foram colegas de classe no curso de administração da FAE. Reencontraram-se em 2017, quando Stivelman havia voltado de um intercâmbio e queria abrir um negócio próprio e Romero já estava com o plano de negócios da hamburgueria pronto. Abriram o Sina meses depois.

Romero prepara hambúrgueres em casa desde a explosão das hamburguerias em Curitiba, em 2013, e foi aprimorando suas receitas. Com o auxílio e inspiração dos vídeos e receitas disponíveis na internet, o administrador passou a experimentar fazer molhos, conservas e outros preparos. Foi depois de assistir a um vídeo de um francês preparando aligot – um purê de batatas com muito queijo, de textura elástica – que Romero teve a ideia de incluí-lo em um sanduíche. “Pensei na refeição: purê com carne, vinho acompanhando. E resolvi colocar esses elementos no sanduíche”, explica Romero.

O hambúrguer com aligot (R$ 20) figura no cardápio de hambúrgueres especiais a cada dois meses, porque o purê deve ser feito imediatamente antes de servir. O purê de batata leva muçarela e parmesão nacionais e é servido com molho de vinho tinto e rúcula no pão d’água da casa e com o hambúrguer de carne de 180 gramas. Em fevereiro serão 120 sanduíches por dia, servidos entre os dias 25 e 28 em dois horários, às 19h e 21h.

LEIA TAMBÉM

>>> Família prepara churrasco de igreja em Quatro Barras de terça a domingo

>>> Restaurante serve pratos com osso para cliente terminar de comer com as mãos