Eventos

Festival Rock do Bem II arrecada doações de cobertores e agasalhos no Claymore Bar

Por: Sandro Moser
Festival Rock do Bem II arrecada doações de cobertores e agasalhos no Claymore Bar

Depois do sucesso da primeira edição do Festival Rock do Bem, em março, quando foram arrecadadas cerca de quatro toneladas de donativos para as vítimas das chuvas, a comunidade roqueira de Curitiba se reúne nesta quinta-feira (7) para uma segunda noite beneficente, no Claymore Highway Bar.

Desta vez, a noite de rock e solidariedade do Rock do Bem II vai arrecadar cobertores e agasalhos para o inverno. A proposta é a mesma: no palco do Claymore, a banda 91 Rock vai receber cerca de 20 convidados de bandas de rock da cidade como Fábio Elias (Relespublica), Marcellus (Motorocker), Luigi e Jordana (DeLorean), entre outros. Os ingressos são uma peça de agasalho, cobertor ou R$ 10 que serão revertidos na compra de cobertores.

Leia Também

>>> Festival de rock solidário arrecada mais de 4 toneladas de doações

>>> 23 bandas farão festival para ajudar vítimas da chuva

Todo material arrecadado – além da renda da noite – serão entregues ao Provopar Estadual, que fará a destinação para a Campanha do Agasalho 2018. “Fizemos esta parceria [com o Provopar] para que tudo fique mais transparente. Os músicos abriram mão de seus cachês. Toda a arrecadação do bar na noite com bebidas e comidas será entregue para quem mais necessita. É o rock para esquentar a cidade”, disse Paty Boarin, uma das sócias do Claymore.  

Primeiro festival devolveu casa à idosa vítima da chuva

Na primeira edição do evento, em março, mais de 1,5 mil fãs de rock compareceram. Foram foram arrecadadas 4,5 toneladas de doações e R$ 25 mil para compra de colchões e cobertores novos. O valor obtido foi suficiente para reconstruir a casa de uma senhora, moradora da Cidade Industrial, que havia perdido a residência depois das fortes chuvas. 

Nesta segunda noite, organizadores esperam superar o número de arrecadações da primeira edição. “Para nós, é muito gratificante, não dá nem pra descrever. Na hora de necessidade, todo mundo ajuda. Isto não tem preço”, finaliza a organizadora.