Shows

Stanley Jordan, muito jazz e blues de graça no fim de semana em Curitiba

Por: Andreza Rossini
Stanley Jordan, muito jazz e blues de graça no fim de semana em Curitiba

Acontece neste sábado (26), no Parcão do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, a 4.ª edição do Festival BB Seguros de Blues e Jazz, com oito apresentações musicais gratuitas ao público. O evento acontece das 11h às 19 horas, com atrações especiais para as crianças.

Entre os shows, está o do guitarrista e compositor americano Stanley Jordan, grande nome do jazz, conhecido por sua forma peculiar de tocar guitarra com as duas mãos no braço do instrumento, colocando em ação até nove dedos de uma só vez. O músico deve apresentar músicas próprias e covers personalizados.

>> 10 passeios diferentões em Curitiba sem gastar nada

>> Olho do MON recebe exposição com obras gigantes

>> Roteiro: bares em Curitiba com chope a menos de R$ 10

O grupo mineiro Dudu Lima Trio está entre os conjuntos de instrumentistas mais respeitados do Brasil. Dudu Lima (contrabaixo, arranjos e direção musical), Ricardo Itaborahy (piano, teclado e vocais) e Leandro Scio (bateria e percussão) sobem ao palco junto com Jordan, às 17h40.  O guitarrista americano tem participação em disco gravado pelo grupo.

Hermeto Pascoal, alagoano conhecido como o “bruxo” ou o “mago” é considerado um dos maiores gênios da música brasileira em atividade e também se apresenta no evento. Poli-instrumentista, Hermeto é famoso por fazer música até com chaleiras e brinquedos de plástico. Toca flauta, piano, sanfona e berrante, entre outros instrumentos. Nos anos 90, para o projeto Calendário do Som, publicou uma música por dia, que foram reunidas em um livro de 414 páginas, lançado em 1999. A apresentação do alagoano está marcada para as 16h20.

O conceituado guitarrista luso-brasileiro Nuno Midelis apresenta seu show de blues com pitadas da música do seu país de origem, Angola, de onde saiu exilado aos 17 anos. O show de Nuno conta com a participação de sua banda recém-formada por Dhieego Andrade na bateria, Marcos Klis no baixo e Alex Bessa nos teclados. “Eu devo cantar duas músicas em Kimbundu [língua da Angola]. Nunca fiz isso ao vivo. Faço desde criança, mas entre amigos. Agora, quero transformar em projeto mais permanente”, afirmou.



Conhecido por inserir a guitarra elétrica na música brasileira, o baiano Pepeu Gomes é outra atração do festival. Expoente da MPB, Pepeu traz ao palco montado no Parcão um repertório mais apropriado ao jazz, que lhe permite exibir seu virtuosismo dedilhando as seis cordas da guitarra.

E representando a música local, a banda curitibana Milk ’n Blues deve apresentar uma mistura de blues, rock, pop, soul e funk. O grupo tem músicas próprias e uma formação diferenciada, com três vocalistas principais no sexteto. O instrumental é formado por bateria, baixo, guitarra e gaita harmônica, acompanhado de arranjos vocais.

Público

Para este ano a expectativa de público é de dez mil pessoas. Segundo a organização, no último ano, o festival reuniu 103 mil pessoas em todo o Brasil: 22 mil em Curitiba, 12 mil em Belo Horizonte, 17 mil em São Paulo, 18 mil em Brasília, 20 mil em Recife e 14 mil em Porto Alegre.

Este é o segundo ano em que o evento é realizado em Curitiba. “Dessa vez vamos fazer uma pequena praça de alimentação, que foi uma demanda do público no ano passado. Nossa proposta é que as pessoas façam um piquenique no parque ao som de blues e jazz, mas como o evento é longo optamos por colocar a praça”, afirmou Maria Dolores, responsável pela organização do festival.

Satisfeita com o evento de 2017, Maria espera algo semelhante neste ano. “No ano passado o clima estava muito bom, as pessoas muito educadas. Estamos preparando uma série de coisas diferentes para o bem estar do público”, disse.