Eventos

Nem toda festa julina é feita de quentão e pinhão: veja doces árabes da 17ª festa da Igreja São Jorge

Por: Marina Mori
Nem toda festa julina é feita de quentão e pinhão: veja doces árabes da 17ª festa da Igreja São Jorge

Esqueça o pé de moleque, a maçã do amor e a cocada. Também não espere uma barraca de pipoca ou de pamonha enquanto se prepara para a 17ª festa julina da Igreja Ortodoxa São Jorge, no bairro Mercês, em Curitiba. O evento, que ocorre neste fim de semana (06 e 07 de julho) é uma ótima oportunidade para conhecer os sabores da cultura árabe.

Ao todo são 15 barracas com opções que vão desde o clássico kibe (servido frito ou assado na grelha) às porções de falafel (bolinho de grão de bico) e shawarma. Em quantidades menores, tem também quentão e pinhão. “Mais ou menos 60 pessoas voluntárias ajudaram a preparar a festa nos últimos 30 dias”, conta o organizador da festa e responsável pela paróquia, Radwan Habib Gholmie.

A entrada é gratuita, e os preços das comidas vão de R$ 5 a R$ 12. A seguir, confira cinco doces que merecem atenção especial. Cada um deles custa R$ 5. 

Namura

Servido em fatias quadradas, o doce é feito à base de semolina e tem textura de bolo. Porém, em vez de fofa e aerada, a massa é baixa e extremamente úmida porque é regada por uma calda de açúcar e água de flor de laranjeira.

Atayef

O sabor cítrico da água de flor de laranjeira também aparece no atayef, uma espécie de panqueca recheada com creme de nata servida em formato de pastelzinho. Perfeito para quem gosta de doces cremosos.

Ghraibe

Esta bolachinha amanteigada decorada com amêndoas tem sabor praticamente neutro se comparada aos outros doces árabes. A massa se esfarela facilmente e vai bem com quentão.

Maamoul

Feita à base de semolina amanteigada, a bolachinha é recheada com pasta de tâmara. É uma ótima opção para presentear alguém, pois vem embalada e decorada com lacinho.

Bolo de São Jorge

Não tem nenhum santinho escondido na massa, como o bolo de Santo Antônio, mas faz muito sucesso na festa julina da Igreja Ortodoxa. Em cada um dos dias da festa, são vendidas pelo menos quatro unidades de 5kg cada deste bolo de morango recheado com nata.