Museus

Juarez Machado ganha exposição com telas “peculiares”

Por: Sandro Moser
Juarez Machado ganha exposição com telas “peculiares”

O pintor Juarez Machado é um cidadão do mundo. Nascido em Joinville, Santa Catarina, se revelou artista em Curitiba, na década de 1960, morou no Rio de Janeiro e há 35 anos vive em Paris.

Uma das coisas que o pintor mais faz é viajar, e foi em suas andanças que o artista encontrou um suporte peculiar para sua arte: Juarez coleciona os sacos de vômitos de aviões e os transforma em telas onde pinta personagens regurgitando paisagens e obras de arte.

LEIA TAMBÉM

>>> Novo Parque em pinhais tem vista para a Serra do Mar 

 “É uma brincadeira muito humana, ver e comera a beleza à sua volta e devolvê-la para o mundo ate que chega a hora engolir tudo de novo”, explica.A coleção de desenhos está ao lado de outras 22 obras do pintor que fazem parte da exposição Estive e estou Curitiba, em cartaz no Museu Guido Viaro, até o dia 17 de dezembro.

As obras selecionadas pelo artista, que retratam períodos diversos de sua carreira recente, após uma longa temporada sem expor na capital paranaense, cidade em que o artista conclui parte importante de sua formação.

A princípio, como aluno da Faculdade de Belas Artes, em Curitiba, na década de 1960, foi cenógrafo, decorador, desenhista, escultor, caricaturista, ilustrador, cartunista, jornalista, ator e mímico.“Um dos quadros mostra este momento. É uma imagem dele sobre o ônibus que me trouxe a Curitiba com o cavalete e as tintas na sacola”, disse.

O traço e as cores características do artista estão presentes em todas as obras. Juarez ressalta a linguagem narrativa de seus quadros. “Para mim, um quadro não serve para enfeitar uma parede. Um quadro conta uma história e cabe ao artista fazer este quadro falar”, disse.