Passeios

Vai descer de boia o Rio Nhundiaquara? Confira as dicas para aproveitar o passeio

Por: Bruna Covacci
Vai descer de boia o Rio Nhundiaquara? Confira as dicas para aproveitar o passeio

Quem gosta de contato com a natureza e passeios com um pouquinho de adrenalina, pode aproveitar para fazer boia cross no Rio Nhundiaquara, em Morretes. O percurso de três quilômetros costuma durar duas horas e meia e rende boas gargalhadas, mas precisa de cuidados. Pode ser feito por crianças acima de 12 anos e mais de um metro e meio de altura e por adultos.

A melhor época para descer o rio é quando ele está mais cheio, de outubro a maio. Não é indicado ir apenas com roupas de banho (sunga e biquíni) para poder se proteger do impacto com as pedras. Outra dica é usar um tênis para ajudar a descida. Em alguns momentos do percurso a bóia acaba “entalando” entre pedras e você precisa de uma ajudinha extra para conseguir continuar.

Leve um tênis mais velho, é comum que ele acabe rasgando nas pedras. Alguns dos lugares que oferecem serviço até têm tênis que acabam sendo deixados por lá para uso – mas não vá tão confiante, é melhor garantir o seu. Outra dica é de manter o corpo em “prancha”: deixando a bunda para cima da bóia – ou, algumas vezes, você vai acabar batendo nas pedras embaixo do rio.

Como o passeio é pertinho de Curitiba (dá, inclusive, para descer via Serra da Graciosa, mantendo contato cm a natureza) e fica aproximadamente à uma hora de distância. Uma boa dica é ligar nas pousadas e operadoras que oferecem o serviço logo cedo, assim, eles podem informar sobre a situação do rio.

O ideal é que a descida seja das 9h às 14h. Pela manhã, às 9h, a descida é mais vazia. Depois das 10h é que começam a chegar mais pessoas. Na hora do almoço, ao 12h, também é uma hora em que o rio fica “menos povoado”.

Depois das 16h, no verão, costuma chover no litoral e a brincadeira pode ficar arriscada. Nos dias em que o rio está muito alto ou há nuvens negras e pesadas na região da Serra do Mar, a descida não é permitida, porque podem ocorrer as chamadas cabeças d’água (aumento súbito do volume da água do rio, e pode carregar os praticantes).

O uso dos equipamentos de segurança: capacete e colete salva-vidas são obrigatórios. A saída é no Porto de Cima, a 7 km do centro da cidade – é possível chegar lá de bike ou de ônibus. Algumas empresas oferecem o translado até a saída de Kombi  – com emoção.

Confira lugares que oferecem os passeios:

Pousadas que oferecem o serviço:

Na Pousada Itupava o aluguel custa R$ 25 por pessoa. No preço, também estão incluídos estacionamento, transporte até o local da descida, fornecimento capacete e colete salva-vidas. No final do passeio, os clientes ainda têm direito a banho quente.

Pousada Itupava: (41) 3462-1925 ou www.itupava.com.br.

A Pousada do Oasis também oferece o serviço de aluguel a R$ 25 por pessoa. Estão inclusos transporte e os equipamentos de segurança.

Pousada do Oasis: (41) 3462-1888 ou www.pousadadooasis.com.br.

Já a Calango Expedições oferece um serviço diferenciado, com guia turístico durante a descida. O valor é de R$ 120, por pessoa com direito a transporte e seguro atividade.

Calango Expedições:  (41) 3462-2600 ou www.calangoexpedicoes.com.br.