Cinema

Primeiro encontro do Conversarte tratou temas como música e cinema

Por: Sandro Moser
Primeiro encontro do Conversarte tratou temas como música e cinema

Dois nomes de peso da das artes audiovisuais brasileiras abriram na noite desta terça (4) , no Pátio Batel, a primeira rodada de encontros do projeto Conversarte. Dezenas de pessoas lotaram o espaço para ouvir o encontro entre o diretor de cinema e tevê Andrucha Waddington e o compositor André Abujamra.

Leia Também 

>>> Festval Olhar de Cinema: olhos voltados para Curitiba 

A conversa teve a mediação do jornalista Ernani Buchmman.Abujamra e Andrucha falaram principalmente sobre a influência do avanço da tecnologia sobre a produção cultural em suas respectivas áreas de ação.“É um avanço inevitável. Falaram que a tecnologia ia acabar com o mercado da música na virada do século e hoje a gente já aprendeu a lidar com a tecnologia. Em todas as áreas vai acontecer e isso é muito bom”, disse Abujamra.

Perguntado sobre o futuro da arte, Abujamra terminou a noite lembrando um conselho de seu pai, o ator e diretor Antônio Abujamra, falecido em 2015.“A tecnologia avançou muito rápido nos últimos anos e tudo mudou. O futuro da arte não tem como prever. Eu não sou bruxo, quer dizer, até sou um pouco. Quando eu tinha três anos meu pai me falou, a vida é tua, estrague-a como quiser. Eu segui o conselho e quero que meu filho e sua geração façam o mesmo”.

Diretor do multipremiados Eu, Tu, Eles no ano 2000, Andrucha avaliou o momento e o cenário de futuro para o cinema brasileiro. “No começo dos anos 1990 houve um desmonte institucional muito forte, no governo Collor e há uma ameaça real de algo parecido volte a acontecer. No momento atual, eu vejo o mercado do cinema mais preparado. Espero que não aconteça nada parecido e este ciclo do cinema brasileiro não se interrompa”.

No final, abriu-se o espaço para perguntas do público que participou ativamente.

Uma conversa por mês

As rodadas do Conversarte continuam até outubro, com uma reunião mensal, sempre na primeira terça-feira de cada mês.

Em julho o encontro reúne os escritores Fernanda Young e Fabricio Carpinejar. Em agosto, os convidados são o jornalista e produtor Nélson Motta e o cenógrafo e artista visual Gringo Cardia.

Em setembro, o ator e diretor Miguel Fallabella se encontra com o diretor teatral Eduardo Moreira e o ciclo fecha com o encontro dos estilistas Fause Haten e Alexandre Hercovitch.

O evento é produzido pela Montenegro Produções e tem o o apoio da Gazeta do Povo. 

Antes das rodas do Conversarte, à tarde, os convidados participam de um encontro com artistas curitibanos e assinantes do Clube da Gazeta do Povo na sede do jornal. Nesta primeira edição, assinantes que se inscreveram puderam participar.

O passaporte individual com direito à entrada nos cinco debates (um por mês) custa R$ 156. A entrada unitária custa R$ 56. Assinantes do Clube da Gazeta do Povo têm desconto de 50 % na compra dos ingressos.