Eventos

Nostalgia no circo: espetáculo do Vostok traz para Curitiba números clássicos

Por: Bruna Covacci
Nostalgia no circo: espetáculo do Vostok traz para Curitiba números clássicos

São 146 anos de palhaçadas, mágicas, contorcionismos e acrobacias por todo o Brasil. Um dos mais tradicionais circos do país, o Vostok, citado até na canção “Telegrama”, de Zeca Baleiro, está em Curitiba para mais uma temporada. Instalados próximos a Havan do Parolin, na Linha Verde, a família e os artistas oferecem um show de duas horas com números tradicionais da história do circo e inovações para as crianças.

E o Vostok tem tudo que um circo deve ter: família, entusiasmo e alegria. Logo no início, diferentes gerações de circenses entram em cena para dar o tom do espetáculo da noite. Crianças, adolescentes e adultos dançam e fazem acrobacias juntos na cama elástica. E aí começa a magia.

A seguir, confira motivos (e números!) para não perder a temporada do Vostok em Curitiba.

Mágica tradicional

Quando você pensa em mágica de circo provavelmente vai se lembrar das seguintes cenas: a assistente serrada ao meio, flutuando em uma caixa, desaparecendo ou, ainda, se multiplicando. Tem também aquele número em que a cabeça da assistente troca de lugar, gira em 360° enquanto as mãos estão em outro extremo da caixa. Os truques pouco feitos ultimamente são executados pela família Vostok até hoje. Parece coisa de cinema.

Palhaços (para adultos e crianças!)

Os diferentes tipos de palhaços também fazem parte da apresentação do circo. Eles nunca fazem nada direito, é claro. No repertório, brincadeiras que só os pais vão entender pelo tipo de assunto abordado, mas também aquelas que levam os filhos a gargalhadas só pelo jeito de andar. Os palhaços vão provocar o público e até falar de assuntos da atualidade, como cantar “Jenifer”, com toda a plateia.

Trapézio e lira

As apresentações de trapézio e lira também são essenciais para o circo. É o que todo mundo quer ver. Na temporada 2019 do Vostok elas acontecem em três momentos: um trapézio solo – que vai arrancar suspiros quando o circense gira só com os pés presos ao trapézio, sem se segurar de forma alguma; com um solo de lira, onde a acrobata mostra todo o seu contorcionismo e flexibilidade e, por fim, com saltos dos volantes a 10 metros de altura (incluindo duplos mortais) recebidos pelo aparador. Da plateia tudo parece suave, mas o número exige muita força e confiança. Tradicionalmente, os trapezistas eram todos da mesma família, já que o número exigia extrema confiança e treino excessivo.

Malabarismo

Os malabaristas não poderiam faltar. No Vostok, eles atiram argolas para cima, usam os pés para equilibrar diferentes objetos e se arriscam até colocando fogo nas peças! No clássico número de bambolês, a bailarina chega a rodar 40 dos objetos de uma vez só.

Globo da morte

A última atração da noite conta com 4 artistas. O Globo da morte consiste em uma espécie de jaula de aço em que os pilotos fazem voltas simultaneamente: timing, sincronia e concentração são essenciais para um dos mais perigosos e excitantes da noite.

Interação com o público

No circo a ideia é se divertir com os artistas e com o público. Por isso, as interações são essenciais para que todos se sintam parte daquele momento. Em diferentes horas, pessoas da plateia são chamadas para ajudar o espetáculo: com os palhaços ou com… Capitão Jack Sparrow. Ele mesmo! O famoso pirata dos cinemas tem seu momento no espetáculo, como atirador de facas e espadas. O clássico número do circo fica ainda mais divertido quando alguém da plateia é convidado para ficar na prancha do capitão. Uma dica? Se for chamado, feche os olhos e não se mexa!

Para as crianças

O imaginário das crianças é contemplado com danças, acrobacias e personagens famosos das telinhas e dos desenhos, como a princesa Elsa de Frozen, a Mulher Maravilha, o Superman e até os Minions.

Os ingressos para o picadeiro variam entre R$ 15 e R$ 60 (camarote). Menores de dois anos não pagam entrada. Aos sábados, domingos e feriados são três apresentações: às 16h, 18h e 20h30. De terça a sexta, o espetáculo é às 20h30.