Cinema

Prometido para metade de 2018, inauguração do Cine Passeio fica para 2019

Por: Sandro Moser
Prometido para metade de 2018, inauguração do Cine Passeio fica para 2019

Após promessa de inauguração para metade de 2018, o complexo de cinemas públicos Cine Passeio só será inaugurado no ano que vem, em 2019. Ainda não há data definida, mas segundo diretor de Ação Cultural da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Beto Lanza, a inauguração vai acontecer no contexto do aniversário da cidade, ou seja, alguma data próxima ao dia 29 de março.

>>> Documentário recria vida do cartunista Henfil 

“Estamos com 100% das obras do prédio concluídas e tudo instalado nas salas de projeção, faltando pequenos ajustes. A partir de agora vamos fazer o contrato com a equipe de projeção, contratar o staff interno, mobiliar o café e usar os dois primeiros meses do ano para testar o funcionamento”, explicou Lanza.

>>> Calçadão da XV ganha moldura gigante para fotos com árvore de Natal

“As datas de comemoração do aniversário da cidade vão coincidir com o momento em que tudo estará funcionando perfeitamente e a curadoria de programação também estará concluída”, garante.

>>> Atraso na entrega dos projetores adia inauguração do Cine Passeio

No início do ano, a intenção da prefeitura era ter entregado a obra pronta em maio. A data prevista foi trocada para outubro, mas após um atraso na instalação do material das salas de exibição a previsão ficou para o ano que vem.

O projeto do complexo de cinema público Cine Passeio na esquina das ruas Riachuelo e Carlos Cavalcanti, está em andamento desde 2009 e já passou por três diferentes gestões municipais, as dos prefeitos Luciano Ducci, Gustavo Fruet e Rafael Greca.

As obras de reforma dos 2,6 mil metros quadrados do prédio histórico – construído na década de 1930 – começaram efetivamente em 2012.

A reforma do complexo custou R$ 9,8 milhões. Deste montante R$ 6,3 mi já foram empenhados pelo munícipio para a conclusão das obras de reforma do prédio e mais R$ 2,5 mi foram usados na licitação para compra de equipamentos.

Os recursos para a conclusão do Cine Passeio foram obtidos pela venda de títulos de potencial construtivo: papéis emitidos pelo município que permitem que os compradores ampliem as dimensões de obras com limitações impostas pela lei municipal de zoneamento e uso do solo urbano.

O novo Cine Passeio terá duas salas de projeção – cada uma com 90 poltronas, os cines Ritz e Luz – lembrando o nome dos cinemas de rua fechados, respectivamente, em 2005 e 2009.

No terceiro andar, há um espaço para eventos e um espaço para exibições de cinema ao ar livre, com capacidade para 60 pessoas e vista para o Passeio Público.

O andar subsolo foi batizado de espaço Valêncio Xavier (em homenagem ao escritor, cineasta e criador da Cinemateca de Curitiba) que vai abrigar estúdios, salas de palestras, cursos de formação em cinema e eventos.

O projeto é dos arquitetos Mauro Magnabosco e Dóris Teixeira, do Instituto de Pesquisa Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e prevê áreas de convivência, coworking para produtores de cinema, um café temático e espaço para exposições.

As novas salas de cinema de rua, O Cine Luz e o Cine Ritz terão curadoria de programação voltada ao cinema “não-comercial” e à produção brasileira e paranaense. Toda programação das salas de cinema do Cine Passeio será feita pelo crítico e jornalista Marden Machado e pelo cineasta Marcos Jorge, diretor do filme Estômago.