Shows

Orquestra Sinfônica do Paraná comemora 34 anos com concerto especial

Por: Sandro Moser
Orquestra Sinfônica do Paraná comemora 34 anos com concerto especial

Na euforia da redemocratização do país, em 1985, o governo do Paraná passou a ser cobrado pelo setor cultural. Apesar de uma longa tradição de sociedades paranaenses de música clássica e de ter um dos principais teatros do país – o Guairão – o estado não tinha uma orquestra para chamar de sua.

Leia Também

>>> Animatiba: festival exibe 60 animações no Cine Passeio

O então governador José Richa decidiu criar a Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP) e abriu concurso público para a contratação de músicos atraindo instrumentistas de todo o país.

A segunda medida foi repatriar o maestro Alceo Bocchino, que vivia desde a década de 1940, no Rio de Janeiro. Em seguida, houve a contratação do maestro Osvaldo Colarusso então regente do Coro do Teatro Municipal de São Paulo.

O resto é uma história de 34 anos que serão comemoradas em um concerto especial aniversário de 26 de maio, às 10h30, no Guairão.Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) e estão disponíveis na bilheteria do teatro ou pelo Disk Ingressos.

O programa, escolhido pelo maestro-titular Stefan Geiger, será o Concerto para Harmônica e Orquestra, de Heitor Villa-Lobos, e a Sinfonia No. 10, de Dimitri Shostakovitch. A primeira obra contará com a presença do gaitista José Staneck, que fará o solo harmônica da composição de Villa-Lobos.

História da OSP

Em seus 34 anos de história, a OSP já tocou para um público estimado de mais de milhão de pessoas. A OSP já teve mais de 50 maestros. O titular há quatro anos é o alemão Stefan Geiger que rege um corpo artístico de 66 músicos.  

A OSP produziu grandes óperas como Aïda (1994), de Giuseppe Verdi, e João e Maria (2018), de Engelbert Humperdinck.

Além do repertório clássico de orquestra, a OSP já tocou ao lado de grandes estrelas nacionais, como Bibi Ferreira, e locais, como a Banda Blindagem. Desde 2012 traz também os filmes-concertos, apresentações de filmes mudos com a trilha sonora tocada ao vivo pela orquestra.

Ao todo, a orquestra possui quase 1.000 obras catalogadas em seu arquivo musical, entre compositores brasileiros, internacionais e paranaenses.