A crise ainda está por aí... Além disso, é fim de mês e para muita gente os “recursos” para diversão entretenimento e gastronomia também vão se esgotando. Hora de ficar em casa, certo? Negativo!

O Guia da Gazeta do Povo + Clube preparou um roteiro baratinho para fazer gastando R$ 10 ou menos para você curtir a vida na cidade mesmo em tempo de vacas magras. Tempos melhores virão!

Obs: o preço estipulado não considera o deslocamento. A valor foi pensando apenas na diversão em si. 

>>> Os cinco bares pés-sujos fundamentais de Curitiba

>>> 10 passeios diferentões em Curitiba sem gastar nada

1) Comer espetinhos bons e baratos na Simprão

O local é aconchegante e agradável. Os espetinhos de vários gêneros são assados no capricho e bem servidos. A cerveja, gelada. E os preços, para lá de camaradas. A Espetaria do Simprão é refúgio seguro para quem não está lá assim montado na grana. Tem espetinho de calabresa (R$ 3,50), pão de alho (R$ 4), linguiça (R$ 4,50), coalho, kafta e coração (R$ 5), de bacon e de pancetta, especialidades da casa a R$ 5,5, entre outros.

2) Saborear a coxinha premiada da Dois Corações

A coxinha de franco com catupiry da Dois Corações é uma das instituições de gastronomia realmente popular de Curitiba.  Em 2015, com cerca de 9 mil votos (número suficiente para eleger com folgas um vereador) a consagraram vencedora do Prêmio Bom Gourmet, categoria Sabor Popular.

Carro-chefe da rede de confeitarias criada em 1992, o segredo de seu sucesso está nos detalhes, segundo o empresário Rafael Moraes, um dos sócios da casa. “Tanto a receita quanto o molde do formato, o jeito de colocar o catupiry bem no meio e a casquinha bem fininha foi criado pela minha mãe”, diz.

3) Assistir e apostar nas corridas de cavalos

Mistura elegante de esporte e entretenimento, as corridas de cavalo (ou o turfe) são um programa divertido para aficionados ou iniciantes. As provas rolam às quintas-feiras no Jockey Club do Paraná. A entrada e o estacionamento são gratuitos e as apostas podem ser feitas com apenas R$ 2 reais. Saiba como apostar e outras informações sobre os programas do Jockey Club aqui.

4) Curtir exposições e mostras nos museus da cidade

Curitiba tem dezenas de museus. Boa parte deles, todos conhecem como o Museu Oscar Niemeyer, o Alfredo Andersen, o Guido Viaro, o Museu Paranaense e o Museu de Arte Moderna.  Nem todo mundo sabe que há um Museu de arte indígena, ou que há o Museu do Holocausto ou um Museu Egípcio com direito a uma múmia. A boa noticia é que boa parte deles conta com entrada gratuita e entre os que cobram ingresso, nenhum ultrapassa o teto de R$ 10, com exceção do MON que cobra R$ 20 a entrada inteira (R$10 a meia-entrada), mas abre as portas a todos às quartas-feiras.  

5) Degustar os sabores únicos da tradicional Sorveteria Formiga

Nada é mais deliciosamente curitibano do que sentar, numa tarde de sol, nos degraus do predinho modernista na Avenida Iguaçu, quase esquina com a Ângelo Sampaio, e degustar uma casquinha da tradicionalíssima A Formiga, que funciona no térreo. Fundada em 1952, A Formiga usa maquinas e métodos retrô. A qualidade segue imbatível. Cada bola custa R$ 5. Os destaques são os sabores nostálgicos como milho verde, passas ao rum e coco queimado.

6) Tomar um café com pastel nas feiras-livres de Curitiba

Todo dia é dia de comer pastel na feira em Curitiba. A cidade tem 40 feiras livres, em todos os dias da semana, e em todas elas há ao menos uma barraca vendendo a clássica iguaria popular. Os preços dos pastéis variam, em geral de R$ 5 a R$ 10 (os especiais), e podem ser acompanhados ou por um cafezinho ou por um caldo de cana. Em qualquer dos casos, sem estourar o orçamento.

Saiba onde e quando comer os melhores pastéis de feira em Curitiba.

7- Tomar um café no centro da cidade

Curitiba, a cinza, ou Curitiba, a fria? Tanto faz, desde que se tome um cafezinho.  Há vários e bons cafés na cidade como o Supernova que compra os grãos são comprados diretamente do produtor e os torra uma vez por semana. Os preços variam entre R$ 4,75 e R$ 8,75. Ainda há a opção de acompanhamento de brigadeiro ou brownie por R$ 5.

Na Boca Maldita, quem ainda reina é o Café Avenida, inaugurado em 1958. “A gente vai passar por uma reforma em breve e tentar colocar o café como ponto turístico da cidade mesmo”, explica a gente Mara dos Santos. Lá, com R$ 10 dá pra tomar três cafezinhos.

8) Curtir uma sessão especial de cinema

Enquanto o povo cinéfilo e remediado espera a abertura das salas de cinema do Cine Passeio como quem espera a chegada de um messias, é também possível assistir a bom cinema pagando barato. Sessões especiais como a das mostra com os filmes de David Bowie têm entrada de R$ 4. Nos cinemas públicos de rua da cidade, a Cinemateca e o Cine Guarani, as entradas inteiras custam exatamente R$ 10.  Nos cinemas Comerciais, também há promoções em determinados dias e horários, saiba mais aqui.

9) Tomar uma cerveja – no balcão ou na calçada - no bar da Dona Inês

No coração da rua São Francisco, o bar  Super Bom, ou o “Bar da Dona Inês” como é chamado pelo íntimos é muito amado pelos frequentadores do Centro Histórico.  Os segredos do sucesso são vários, a começar pelo charme do velho balcão de madeira com fórmica verde, passeando pela clientela heterogênea que une juízes a artistas de rua, adolescente e octogenários. A liberdade de poder conversar na calçada também é especial.

O principal é a qualidade do atendimento e dos produtos e a cerveja sempre gelada e mais baratas da região boêmia. Quase todas as cervejas de garrafa custam menos de R$ 10 e algumas marcas são vendidas a R$ 6. O que dá uma folga no orçamento para pedir  dois deliciosos pasteizinhos a R$ 4. Imperdível.

10) Ouvir sambas inéditos no SCP

Acontece todas as terças-feiras e nem todo mundo sabe. O Samba do Compositor Paranaense (SCP) no TUC é um ponto de encontro de compositores e músicos. Na roda de samba, apenas sambas locais. Quem compõe, pode mostrar sua criação e para tanto deve chegar às 19h30 com 20 cópias impressas da letra da canção. Os organizadores decidem se ela é apta à execução. As cópias servem ao público e a roda que acompanham em coro. Se você não é compositor, pode cantar junto e ouvir a produção dos compositores em primeira mão. É lindo. E melhor, é de graça, o que te permite usar os R$ 10 como melhor lhe aprouver quando a roda se acaba perto das 21h. Pela proximidade e afinidade, sugerimos o item anterior desta lista.

LEIA TAMBÉM

>>> Fim de semana de samba em Curitiba só termina na terça