Bares e Baladas

Cinco bares para curtir aos domingos em Curitiba

Por: Sandro Moser
Cinco bares para curtir aos domingos em Curitiba

Sem essa de descansar no sétimo dia. Domingo é dia de sair de casa e Curitiba tem boas opções para aproveitar o primeiro dia da semana em bares que tem programação especial ou espaços apropriados para curtir a domingueira. Listamos abaixo cinco casas que abrem aos domingos para você se programar:

Samba, Pastel e Birita

A caipirinha de jambu (planta típica do Pará), que foi criada especialmente para o show da cantora paraense, Dona Onete, em Curitiba, em abril, já mostra como a casa alia resultado a melhores intenções. A casa na rua São Francisco, idealizada pelo publicitário Luís Giusti e pelo produtor cultural, Gil Preto, conhecido pela festa Brasilidades, une três paixões nacionais: pastéis (destaque para o “Elza Soares” com farofa de pinhão, bacon e carne moída), cachaça e samba da melhor qualidade.

Choripan

Em seu quarto ano de atividades, o Choripan segue firme com a sua proposta de ser um bar ao ar livre, usando com conforto e arquitetura sustentável a calçada em frente ao bar, principalmente, vendendo bons sanduíches com sotaque argentino, cervejas e cachaças boas nas Mercês. Aos domingos, a casa abre das 14 às 24h.

Claymore Bar

Mavericks, Dodges e Opalões. Todo domingo, a partir das 10h, o Claymore (ou Bar do Paulo para os íntimos) promove o Encontro de Carros Antigos. Numa rua calma no Água Verde, o bar, que durante a semana é ponto de motociclistas e fãs de rock, é também o espaço para os (muitos) “antigomobilistas” que podem se fartar com petiscos tradicionais de boteco e várias marcas de cerveja sempre gelada.

Quintal do Monge

A porção de “Canudinhos da Capadócia” já vale a visita ao Quintal do Monge. O petisco consiste em canudos de massa de pastel empanados na farinha de rosca, recheados com peito de frango desfiado com tempero de ervas finas e queijo cremoso curado a R$ 22,90. Mas também há a carta com as melhores cervejas e chopes artesanais da cidade e a posição estratégica, ao lado da Igreja da Ordem, no antigo terreno do mosteiro de São Francisco, perfeito para “enroscar” depois das feirinhas de domingo.

Arad Tailor Bar

O bar abriu em novembro de 2016, no mesmo local aonde antes funcionava o atelier do estilista Roberto Arad, o Arad Tailored Jeans, que fechou no ano passado. A casa faz o estilo “bar escondido” com um agradabilíssimo jardim interno. No cardápio, o destaques é o cachorro-quente feito com linguiça suína artesanal e legumes orgânicos no pão francês (são quatro versões, três com linguiça e uma vegetariana R$ 12 cada um) e o Steinhaeger Tônica (purê de abacaxi, Steinhaeger e água tônica) a R$ 20.