Um dos cantores e compositores de maior sucesso mundial, o italiano Peppino di Capri do alto de seus 60 anos de carreira disse que não há um segredo para criar um hit. “Se há um segredo é fazer algo que agrade a muito gente, mas ninguém exatamente sabe como se faz isso até fazer”, disse.

>>> Peppino di Capri disse que não gosta muito de champagne

O italiano conseguiu e vai mostrar muitos de seus sucessos no show que traz a Curitiba, no dia 19 de março, às 21h, no Teatro Guaíra. Os ingressos estão à venda com preços entre R$ 100 e R$ 480 (mais taxa de conveniência) pelo site do Disk Ingresso.

Batizada de Per Amore a turnê comemora as seis décadas de carreira de Peppino que vai passar este tempo em revista com seus sucessos como Champagne, Roberta e outras.

Peppino se diz avesso a celebrações e disse que o show não é uma festa de aniversário. “Cantar estas músicas já é algo especial o bastante, mas é claro que vou passar por momentos importantes da carreira e acredito que junto com o público possamos fazer uma noite especial”, disse.  

No palco, ele recebe a cantora brasileira Zizi Possi a quem chama de “grande e talentosa amiga” que vai dividir algumas das canções de seu repertório romântico.

Roqueiro bom moço

A nova tour de Peppino relembra músicas dele que fizeram sucesso ao longo das seis décadas de carreira do cantor, que começou em 1958, ainda como vocalista do grupo italiano Rocksters.

Peppino diz que como  “roqueiro” não fazia a linha rebelde sem causa e ainda que tivesse um visual diferente, sempre foi um bom moço.Sua trajetória mudou quando assumiu a persona do cantor romântico e nostálgico que sempre foi e conseguiu tocar o coração de diferentes gerações de fãs.

Peppino é velho conhecido dos fãs brasileiro - e de Curitiba. Sua primeira apresentação no país aconteceu em 1961, no Teatro Record, em São Paulo. Desde então ele retornou inúmeras vezes, cantando para nomes como Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Em Curitiba, ele esteve pela última vez no começo de 2017.

“As harmonias da musica brasileira são inimitáveis, todos os músicos da minha geração foram influenciadas por ela e eu sou muito feliz por ter minha história tão ligada ao Brasil”.