As filas se formaram desde o início da manhã deste sábado (30 de março) em volta do Estádio Major Antônio Couto Pereira. Fãs vindos de vários estados do Brasil e também do exterior, mas principalmente curitibanos fãs de Macca lotaram o espaço. Mais do que em qualquer outro show, a faixa etária do público é heterogênea. De contemporâneos do músico, hoje com 76 anos, a meninos e meninas de 11 anos, idade limite para entrar no estádio.

Quase duas horas antes do show, o estádio já estava cheio em seus cinco diferentes setores.  A presença de Paul mexeu com a cidade nos últimos dois dias. Festas foram organizadas, uma estátua em sua homenagem foi inaugurada e dezenas se instalaram na frente do hotel que o hospedou na esperança de ver e receber um aceno do ídolo. O que aconteceu, de fato, perto das 15h, quando o músico saiu do hotel para fazer a passagem de som no palco.

A passagem, aliás, foi acompanhada por uma dezena de pessoas que pagaram o equivalente a 1 mil dólares (R$ 3.923 na cotação de hoje) para ver e encontrar Sir James Paul McCartney por alguns minutos.

A expectativa era que o ex-beatle desse umas bandas pela cidade e fosse até o Parque Barigui, o que não se concretizou. Mas nada abalou os fãs que esperavam a oportunidade de assistir ao vivo o músico que fez sua primeira apresentação na cidade há 26 anos.

Os quase 45 mil ingressos já estavam esgotados há dias. O tempo bom durante todo o sábado fez com que toda atmosfera ficasse perfeita. Desde sexta-feira (29) pessoas acamparam na fila para garantir um lugar perto de Paul e outros grupos se reuniram na porta do hotel que hospedou o músico, no bairro do Batel. A poucos minutos de começar o show, a energia é contagiante. 

Mais informações em breve.