É difícil encarar um show sacolejante dentro de um teatro. E não só para o público. Quem acredita nisso é o próprio Rogério Flausino, frontman do Jota Quest. Depois de apresentar a turnê “Pancadélico Tour 2016”, no Guairão, o cantor afirma ter começado a pensar em tirar do papel o projeto de músicas acústicas. O resultado? “Músicas Para Cantar Junto”, que será apresentado no mesmo local na sexta-feira (10). Os ingressos estão disponíveis e variam de R$71 (meia-entrada) a R$266 (inteira).

“Quando tocamos no Guaíra já tínhamos feito show no Teatro Positivo, o teatro lotou! E a gente via que os fãs não conseguiam se soltar completamente com as músicas pulativas”, contou Flausino em entrevista exclusiva por telefone. Logo em seguida os Raimundos gravaram um trabalho acústico na capital paranaense e o Capital Inicial entrou na mesma onda, lançando o Acústico NYC. “Eu falei com Digão (Raimundos) e ele nos inspirou e animou muito”.

O espetáculo repassa a trajetória de 20 anos da banda e ganhou o nome em homenagem a estrofe “Pra você, e eu e todo mundo cantar junto”, da música “Fácil”, lançada em 1998.  “Acho que é a primeira canção do Jota que eu considero para violão, as de antes eram mais dançantes, funkeadas ou grooveadas. É um marco na nossa história”, disse.

Para o vocalista, o Jota Quest carrega consigo o espírito de tentar colocar todo mundo para cantar, dançar e compartilhar momentos. “Gosto de pensar em canções como peças artísticas que têm o poder de aglutinar pessoas. Quando você está no show de uma banda que gosta muito não existe nada mais tesão e emocionante. E, como cantor, ver a galera cantando junto é um tesão também”.

A releitura da carreira também é um presente para todos os integrantes da banda. “Ficamos sete meses no estúdio pensando no que poderíamos acrescentar ou criar em cima dos nossos sucessos e a maioria das canções está com novas versões”. Dessa vez, é a letra e a melodia quem vêm à tona. “Quando você abaixa o grouve da música ela fica mais harmônica e facilita para a letra ser escutada e notada”.

O show

No repertório estão as músicas próprias, o único cover da apresentação é “As Dores do Mundo”. A escolha foi a de trazer de volta a canção que há muito tempo não era cantada. “Além do Horizonte” e “Tempos Modernos” saíram do setlist. “No disco ‘Folia & Caos’ exageramos na dose dos covers porque chamamos muita gente para contar conosco. Eram músicas dos nossos convidados, foi outra vibe”.

Política

No Rock in Rio o Jota promoveu abraço coletivo e discursou contra os “canalhas” que estão à frente do governo. “Estou muito desiludido com isso tudo. Na hora que a população deveria se unir ela se repeliu. E é muito confortável para quem está no poder, eles conseguiram colocar o povo uns contra os outros enquanto se protegem entre si. Somos escrachados por nós mesmos”.

LEIA TAMBÉM

>>> Ozzy Osbourne anuncia show em Curitiba em 2018

>>> Por que a passagem do Green Day por Curitiba foi uma das “melhores de todos os tempos”