O Museu Egípcio e Rosacruz ganhou uma nova exposição. A mostra Akhet: o horizonte dos deuses tem cerca de 150 novas peças e pode ser visitada até setembro de 2020, quando uma nova mostra deverá ser colocada em exibição. No total, o museu apresenta 700 peças. No acervo estão peças de três eixos - pirâmides, templos e tumbas. As peças escolhidas fazem conexão com esses três itens. A elaboração da mostra levou cerca de oito meses.

>>> Reformada, Biblioteca Pública recebe shows, eventos e tem até cafeteria

Os objetos do acervo do museu foram produzidos por artistas plásticos e são reproduções de achados arqueológicos que estão expostos em museus do mundo tudo. Entre as novas peças estão ferramentas usadas por trabalhadores das pirâmides, reproduções de tumbas, estátuas e esfinges. Duas múmias que já faziam parte do acervo do museu continuam expostas. 

>>> Sucesso nos anos 2000, open bar volta nas baladas de Curitiba

Ao todo são três salas disponíveis para visitação. Logo na entrada do museu os visitantes podem conferir uma réplica da Pedra de Roseta - o documento que tornou possível decifrar a escrita hieroglífica. Na primeira sala é possível conhecer ferramentas usadas por trabalhadores em construções e imagens de Imhotep, um arquiteto que projetou a primeira pirâmide egípcia e foi adorado como divindade pelos egípcios. Há também fragmentos de relevos das mastabas - uma forma de tumba anterior às pirâmides que pertenciam aos nobres.

>>> Sucesso de bilheteria nos EUA, Halloween estreia no Brasil

Na segunda sala é possível encontrar objetos do cotidiano dos templos, os mesmos que eram usados por sacerdotes ou por reis nos momentos de culto. Também estão disponíveis para visitação a estátua de Amenhotep IV, Akhebaton e a esfinge da rainha-faraó Hatshepsut.

Já a terceira sala apresenta os objetos que eram colocados nas tumbas como estatuetas shabits - pequenos servidores que tomavam a vida no outro mundo e serviam ao morto. Também está lá a estátua do deus Sokar - uma divindade relacionada aos espaços funerários desde a construção das pirâmides. Na sala também pode-se ver as pinturas e a porta da tumba do arquiteto Snnedjem e a tumba da múmia Tothmea, peça original do museu que tem mais de 2,7 mil anos.

A entrada para visitar a exposição Akhet: o horizonte dos deuses custa R$ 10 a inteira e R$ 5 a meia-entrada. O museu funciona de terça à sexta-feira das 8h às 12h e das 13h às 17h30. Nos sábados e feriados o horário é das 10h às 17h e nos domingos das 9h às 12h.