Curitiba pode não ser a capital ou mesmo uma cidade referência do jazz no Brasil, mas tem o potencial e está próxima de chegar lá. Um dos sinais dessa mudança está na participação e entusiasmo do público durante o Curitiba Jazz Festival, encontro que reunirá 12 bandas e dois DJ’s neste sábado e domingo, das 11h às 22h, na praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico.

No começo da tarde deste sábado (09), antes mesmo de a primeira banda subir ao palco, os curitibanos ocupavam boa parte das mesas e cadeiras da área coberta, além dos gramados no entorno do palco, sob a sombra das árvores. O público era formado por pessoas de todas as idades, inclusive idosos, famílias e crianças, que aproveitavam o tempo aberto e ensolarado para almoçar e curtir a música. E ninguém parecia muito surpreso com a presença de tanta gente.

Luiz e Laísa. Foto: Amanda Milléo.

Luiz Ricardo e Laísa no festival. Foto: Amanda Milléo.

 

“Fiquei sabendo que haveria o festival por um folder em um bar. Eu sabia que Curitiba tinha esse potencial do jazz, até pela quantidade de bares com esse perfil na cidade. Sabia que tinha essa cena cultural e acho bem interessante. Gosto de jazz”, diz Luiz Ricardo de Castro, estudante de arquitetura de 25 anos, ao lado da Laísa Benett, engenheira civil, de 26 anos, que também se empolgou quando soube do evento.

Enquanto Selma Baptista, cantora há 30 anos, se apresentava ao lado do Jazz Cigano Quinteto, um casal, embaixo do toldo central e bem em frente ao palco, apreciava a música concentrado. Cláudio José Arruti, professor de 50 anos, e Cláudia Hoffmann, professora de 41 anos, souberam que haveria o festival naquela mesma manhã e não perderam tempo.

“Acho fundamental ter espaços e festivais assim. Não que todos precisem ouvir o jazz, mas para quem gosta é importante ter eventos assim”, diz Cláudio. “Ouvimos bastante jazz em casa, nos bares e em restaurantes”, completa Cláudia.

Cláudio José Arruti, professor de 50 anos, e Cláudia Hoffmann. Foto: Amanda Milléo.

Valorização artística

A presença do jazz na cidade ainda precisa ser mais valorizada na opinião da cantora Selma Baptista, em conversa com o Guia logo depois de descer do palco. “Faltam incentivos e espaços para mostrar o trabalho. Jazz não é uma música de alto consumo. É preciso que as pessoas tenham contato e conheçam. O festival está muito bonito, a ideia é muito bacana”, comenta a chamada Dama do Jazz em Curitiba.

Ao todo, cerca de 50 artistas se apresentarão no palco do festival – o que é considerado ainda pouco diante de todos os músicos da cidade. Para tanto, a ideia dos organizadores é que, nos próximos anos, o festival se amplie com o apoio da lei Rouanet. “A primeira edição do festival foi feita em um bar de um hostel. Esse ano, tivemos o apoio da Fundação Cultural, o que permitiu ampliar. Esperamos receber, nos dois dias, cerca de 15 mil pessoas. Temos a capacidade de atender 3 mil pessoas simultaneamente”, relata Valdemir Krause, um dos idealizadores do festival, que neste ano homenageou Saul Trompete, músico falecido recentemente.

 

Famílias também estavam lá

Ao som de ‘Je suis seule ce soir’, a pequena Maria Clara, de um ano e meio, curtia o almoço com os pais, em cima de uma toalha no gramado da praça. Não era a primeira vez que a menina ouvia jazz, visto que Fernando e Débora Chagas, ambos analistas de 36 anos, gostam bastante da música e acompanhavam os festivais do bairro São Francisco. “Moramos no Juvevê e sempre acompanhamos as feiras gastronômicas de lá. Hoje vimos que haveria o festival aqui. Viemos também pela gastronomia, mas principalmente pela música”, conta Débora.

Fernando, Débora e a pequena Clarinha foram uma das diversas famílias que prestigiaram o festival neste sábado (09) (Foto: Amanda Milléo / Gazeta do Povo)

 

Ao seu lado, em um espaço com brinquedos e voltado às crianças estava Natália Bonotto, publicitária de 34 anos, com a filha Maitê, de três anos. “Estava um pouco insegura quanto a trazer ela, que é muito pequenininha ainda, mas está muito gostoso, com várias famílias. E ela já está acostumada ao jazz”, comenta a mãe.

Mãe e filha curtiam o espaço das crianças no Curitiba Jazz Festival (Foto: Amanda Milléo / Gazeta do Povo)