O cenário é um mundo pós-apocalíptico em que homo sapiens foi quase extinto por uma espécie de criaturas cegas (não se sabe se são de fora da Terra ou nasceram aqui), mas que se movem a partir de qualquer som. Ou seja, ao menor barulho elas atacam e matam. Por conta disso, o filme Um Lugar de Silêncio, que estreia nesta quinta-feira (5) nos cinemas de todo o Brasil, é praticamente mudo.

>>> Em Jogador N.º 1, Spielberg retorna ao estilo fantástico que o consagrou

Em entrevista ao portal CinemaBlend, os produtores do filme Andrew Form e Brad Fuller falaram que a inspiração do diretor, ator e uma das estrelas do filme, John Krasinski, para a construção da narrativa foi Tubarão, de Steven Spielberg. Desta maneira, quase não se vê as criaturas que aterrorizam todo mundo no filme e você fica aflito e quase sem fôlego nos quase 90 minutos do longa. 

>>> Único Museu do Holocausto do Brasil fica em Curitiba - e sobram motivos para conhecê-lo!

Krasinski estrela o filme ao lado da atriz (e sua esposa no filme e na vida real) Emily Blunt. O casal vive em uma área isolada e precisa sobreviver e se proteger contra as criaturas. O personagem de Krasinski é astuto e cria uma série de mecanismo e linguagem de sinais para poder se comunicar com toda a família sem emitir um único som.

O detalhe principal é que a mãe da família está grávida e bebês choram e não conseguem controlar a intensidade dos sonos que emitem, ou seja, tempos sombrios virão.

As principais críticas especializadas ao redor do mundo estão com níveis elevadíssimos de elogios ao filme. No site Rotten Tomatoes, por exemplo, a avaliação está em 8.1 (em uma escala até 10) e 97% dos leitores do site querem muito assistir ao filme nos cinemas. A revista Entertainment Weekly disse que a produção tem um dedo no ‘botão do pânico’ e outro no mudo.