É como voltar no tempo: ambientes, imagens, sons e pessoas que fizeram parte dos melhores momentos dos anos agitados da juventude. Que os anos 1990 foram animados na boemia curitibana todos sabem. O que alguns baladeiros não lembram é que pelo menos quatro casas que marcaram época naquele tempo ainda funcionam - cada um a seu jeito – hoje em dia:

Sistema X

Funcionando e bombando, desde 1978, a Sistema X é a balada mais antiga em atividade em Curitiba. A Sistema X nasceu como uma “equipe de som”. Um tipo de estrutura itinerante de shows de festas comum em 1978 quando foi criada pelo toledense Gilmar Berte.

Em 1985, Berte teve a oportunidade de locar o imóvel da Sociedade Trieste, em Santa Felicidade e a transformou numa casa noturna. Logo, a Sistema X se tornou referência de balada popular da cidade.

>>> Dez rolês para fazer com R$ 10 em Curitiba

A casa era inovadora, a primeira com duas pistas no país. “Para agradar a um leque maior de clientes com gostos musicais diferentes”, conta Berte.

Até os 1990, a Sistema X liderou o segmento de balada do povão, com cerca de duas mil pessoas a cada noite. Foi nesta época que Berte lançou o drink Capeta, especialidade da casa.

Em 2002, o boom imobiliário de Santa Felicidade expulsou a Sistema X . Em 2006, a casa reabriu em seu endereço atual, em um antigo galpão da Cidade Industrial, às margens da BR-277.

1250

Foto: Josafá Liberal

Uma das mais marcantes e saudosas baladas, o 1250 ensaia uma volta “física” talvez ainda em 2018. Mas por enquanto, o velho 1000 funciona de forma bissexta com festas especiais sempre lotadas.

Nos tempos áureos, o mil ocupava uma quadra inteira no Bairro Cabral. Era a grande balada da região Norte da cidade, mas por estar dentro do eixo do transporte expresso era facilmente acessada pelo público de várias áreas da cidade.

>>> 36 lugares com o que há de mais legal no Água Verde

Era também a casa mais espaçosa da cidade, com capacidade para sete mil pessoas.

Eclético, o 1250 também promovia muitos shows: João Paulo e Daniel, Dominó e os Racionais MC’s (na turnê do disco “Sobrevivendo no Inferno”, em 1997, se apresentaram lá).

Coma venda do terreno para uma rede de supermercados, tanto o 1250 quanto o vizinho El Potato tiveram que sair da localização privilegiada. O publico fiel, espera uma volta.

Vox Bar

Sinônimo de balada em Curitiba, o Vox Bar segue firme e forte na rua Barão do Rio Branco. O Vox é no fundo uma evolução do Sheena, o bar seminal da música independente em Curitba.

Fundado pelo empresário Paulo Giroletti e pelo jornalista Vicente Meneghetti Junior, o Sheena surgiu para que existisse um bar que tocasse o tipo de música que eles gostavam. Em 1998, o Sheena fechou e um novo ciclo começou: Giroletti abriu em sociedade com Márcia Fontana o Vox Café. Em um casarão de esquina Ébano Pereira com a Saldanha Marinho, o Vox marcou época e virou sinônimo de balada em que tocam “bons sons” em Curitiba.

Foram oito anos de sucesso até a casa ficar "pequena" e mudar-se para um lugar maior, na rua Barão do Rio Branco, em 2006. De lá para cá são 12 anos de sucesso e noitadas ininterruptas.

James Bar

Em junho do ano passado, o James fechou a porta de seu tradicional endereço na rua Vicente Machado, mas não houve tempo para tristeza. A casa reabriu duas semanas depois, repaginada e com o pé no acelerador.

Em um casarão da década de 1930, o James cresceu ampliou o número de bares e pistas de danças, criou espaços ao ar livre e várias novidades. A única coisa que não mudou, foi a fila para entrar na casa que agora se forma na rua Carlos de Carvalho nº 600.