Harder, better, stronger (mais difícil, melhor e mais forte; em tradução livre): os leds posicionados nos espelhos da sala do estúdio dão o tom do que acontece lá dentro, superação! Com a combinação de treinamento funcional e aeróbico, o Bootcamp alia exercícios militares, como flexões, burpees e agachamentos, com tiros de corrida na esteira e outras atividades cardiovasculares. Fomos testar como seria uma aula!

A cada dia da semana o treino tem foco em um grupo muscular. Fomos na quinta-feira, dia de power core (haja abdominal!).  O clima é de festa: música alta, espelhos, uma sala escura e sem janelas: as luzes alternam entre cores azuis e vermelhas. Tudo para que a gente nem sinta que o tempo da aula está passando. E, na verdade, em nenhum momento me peguei olhando para o relógio ou contador de tempo da esteira.

Tudo tem um motivo: as luzes se alternam de acordo com os objetivos e momentos da aula. “O vermelho é usado no auge do treino, em partes de tiros rápidos na esteira ou de resistência, e o azul na hora da recuperação. Ao fim da aula, na hora do alongamento, fica tudo escurinho”, explicou um dos coaches. 

No treino, primeiro a parte de aquecimento que tende mais ao aeróbico: esteira, polichinelos e outros treinos cardiovasculares para ativar a região do core. Depois, fomos ao step para fazer diferentes exercícios de trabalhos abdominais. São quatro baterias de exercícios.

A aula dura 50 minutos. Mas 50 minutos de verdade: não há descanso. A não ser que você considere pranchas e velocidade de 8 km/h na esteira como descanso (risos!).

A trilha sonora combina músicas que dão um gás a mais para que cada um explore o seu limite – e ainda há a opção de comprar aulas temáticas que acontecem a cada 15 dias – live in Rio com músicas brasileiras como funk e música brasileira em geral, anos 1980, K-pop e Rock!

A dica é ir com um amigo. Eu e o Patrick Azevedo, social media do Clube, ficamos o tempo todo apoiando um ao outro. “Vamos mais uma na velocidade máxima?”, dizíamos um ao outro enquanto controlávamos a esteira. Outra dica: quando você agenda uma aula é possível reservar uma esteira e um step numerado – fique do ladinho de quem vai com você!

As orientações professor também ajudam a você a querer fazer um pouquinho mais do que acha que consegue. “Se você já chegou até aqui não desiste agora”, falava o coach  que ministrou a aula que participamos. No final, na última série de esteira, tudo o que nós queríamos era apertar o botão vermelho para apertar a esteira. Mas nada se compara a sensação de dever cumprido ao fim do treino. “A alta intensidade te dá vontade de fazer mais. É cansativo, mas ao mesmo tempo você sai querendo testar seus limites e conseguir, aos poucos, muito mais”, disse Patrick Azevedo.

É PARA TODO MUNDO?

Na hora da aula, o orientador dá diferentes tipos de intensidade e sugestões de como fazer o exercício: para quem está começando e para os mais avançados, com maior condicionamento físico. Todo mundo pode participar!

O treino da Beats pode ser feito por quem quer treinar só lá, mais vezes durante a semana, e também para aquelas pessoas que querem desenvolver um grupo muscular específico ou que precisam de treino complementar para a outra atividade física que já pratica. Para quem nunca fez, a indicação é a de começar com treinos de duas vezes na semana. A ideia é desenvolver um corpo forte, resistente e flexível. 

E COMO ASSIM NÃO TEM MENSALIDADE?

A forma de frequentar a aula é inédita. Eles não têm mensalidade. As vendas de aula e agendamentos são feitas online e é possível comprar uma aula, cinco, dez, quinze, vinte e até cinquenta – todas com validade de uso que vão de 15 dias a 120.

Para quem quer treinar lá todos os dias existem os pacotes recorrentes, que valem por um mês, e tem 5 ou 30 aulas. Os preços variam entre R$ 30 e R$ 900, dependendo do número de aulas compradas. O melhor de tudo isso? Quem é do Clube Gazeta do Povo tem até 30% de desconto na Beats!